Google foge do mais dificil e entrega Chrome OS a ‘comunidade’

Quando a Google anunciou o Chrome, logo veio a ideia dum sistema leve e sem muitas exigencias de hardware. Ledo engano, o Chrome da-se até ao luxo de trabalhar melhor apenas com discos SSD (Solid State Disks) e vir apenas homologado em hardware de fabrica. Quem quiser tentar dar uma de hacker de Linux vai passar mal com problemas de drivers etc, tarefa esta que claro nao será a Google a dar-se ao luxo de fazer, afinal gastaria milhões e muita dor de cabeça, entrgando então a comunidade, atitude aliás vezeira de quem advoga a liberdade do software livre para diminuir custos.

Anúncios

Google lança Chrome OS. Primeira visão

Friedrich Nietzsche disse uma vez para ter-se cuidado ao lutar contra os monstros, para que nao se torne um. A Google vem prometendo um sistema operacional que viria revolucionar o mercado e quando anunciou o Chrome parecia uma daquelas coisas que ninguem nunca viu tipo uma ideia do Raymond Kurzweil.  Os Google aficionados (UltraCognitivos e outros, hehe) clamaram por este sistema e esperavam certamente uma coisa decente aquando do seu lançamento.

Ok, ele nao é indecente, mas é como aquelas provas de sistemas distribuidos  e paralelos, do professor Veloso, não são dificeis mas são extensas demais para serem resolvidas em 2 horas, e é assim mesmo. Conceito de cloud computing, ok, para quem quer vender seu sistema operacional a Google? Para Sul Coreanos que vivem em Seul com mais de 90% da cidade com rede Wireless? Eu aqui em Angola, Luanda nao teria hipoteses com um computador com este sistema.

Depois tem o problema das compatibilidades. Os problemas com os plugins, os ActiveX, os certificados, tecnologias de segurança etc, que só funcionam em IE6, até que alguem resolva pensar que existe um tal de navegador chamado Chrome (desculpe, eu uso Firefox) que agora é também sistema e tal, bom isso é uma longa historia.

Imagine eu no meu querido Google Docs a digitar uma planilha financeira para entregar amanha, só que epá, a energia em Luanda como de hábito deu uma sumidinha. E daí? Salva, rapaz! Ho, só que a Net foi e eu uso Chrome OS.

Depois vem a energia, mas como o sinal da Tv Cabo nao vem como as vezes é hábito (uma chuvarada as vezes é a causa, e ja falaremos disso) se calhar por causa daquela pá grande da construtora XYZ que deu uma comida no cabo de fiber, ou alguma coisa assim e tal.

Tem também o problema da largura de banda real. Imagine eu com um file de 6 Mb e ter que guardar isso tudo? E as musicas? E o Virtual DJ? Tem para Web?

E os navegadores? Que opção temos de instalar o Firefox? e o IE? E o Opera (Onde Mozart recusa tocar) e o Safari? Quantos processos Anti-Trust a Google prepara-se para enfrentar?

Sabem qual a minha opinião? Chrome OS é um sistema elitista, ora.

Sim, o Ubuntu é Africano

Parece ser engraçado, mas o facto do Ubuntu ter sido criado por Mark Shuttleworth um milionario Sul-Africano deixa ainda muita espinha na garganta de alguns. De repente argumentos como o facto dele ser branco começaram a vir a tona, dizem os ceticos que a sua origem é europeia, ora mas que argumento mais defasado no tempo. Esqueceram-se pois estes ‘profetas do ceticismo’ dos inumeros ‘Americanos de nacionalidade’, vindos da Alemanha, Israel, Russia, Asia etc. Até Werner Von Braun o homem dos misseis de Hitler tornou-se Americano e diretor da NASA.

Com o Mark é diferente. Nasceu e cresceu lá, fez dinheiro com software lá, vendeu a sua empresa a Verisign e criou o Ubuntu que vou vos dizer quando comecei a usar Linux em 2001 ainda nao existia como sistema operativo, mas apareceu  e vincou provando a genialidade do seu criador.

Portanto, afirmações baratas só confirmam a falta de trabalho de quem mesmo as cria, o Ubuntu é Sul-Africano e ponto final.

Windows 7 vulneravel a 8 de cada 10 virus?

Mal o Windows 7 foi lançado uma serie de empresas de segurança começaram a arquitectar alguma forma de ‘esquentar’ o mercado em torno de mais este nicho afinal eles ganham em cima de produtos para o mesmo.

A Sophos que até bem pouco tempo tinha um comportamento mais comedido em termos de sensacionalismo ‘meteu agua’ quando um dos seus funcionarios num blog oficial veio dizer que o recentemente lançado Windows 7 é vulneravel a 8 de cada 10 virus.

Só que este artigo da Sophos peca por dizer uma verdade que se esconde numa capa de inverdade, porque tal facto também é possivel tanto em MAC como em Linux. O Windows 7 está preparado para impedir a execução de codigo nao confiavel se o usuario nao autorisar, tal como acontece no Linux e MAC. No Linux se eu possuir uma conta de superusuario e executar um arquivo batch com instruções de formatação de partições o sistema fa-lo sem tergiversar e ponto final, no Windows 7 a mesma coisa, nao vejo diferença.

Este artigo apenas indica a apetencia de se vender mais e mais copias de antivirus, licenciamento corporativo etc. Afinal se nao fosse por aí essas empreas milionarias nem teriam nascido, Então que cedam graças a Microsoft por ter criado um sistema tao ‘bondoso’ como este.

Google lança nova linguagem de programação

O Google está lançando uma nova linguagem de programação. Batizada de “Go” e lembrando fortemente a linguagem de programação C (com pitadas de Python e outras linguagens), ela foi projetada para facilitar o desenvolvimento de software, incentivar a reutilização de código e ter alto desempenho durante a compilação e execução.

E eu pergunto: Mais uma linguagem?

Porque nao lançar já uma framework?

Fonte: http://br.noticias.yahoo.com/s/12112009/7/tecnologia-negocios-google-lanca-nova-linguagem.html

Tutorial: http://golang.org/doc/go_tutorial.html

 

BIGTable a proposta da Google para NoSQL

Grandes empresas como Google e Amazon necessitam de armazenar quantidades ‘exageradas’ de bytes de informações, petabytes até. Bancos de dados relacionais (Oracle, Mysql, SQL Server) sao dificeis de serem escalados nessa ordem. A estrutura de dados BIGTable da Google, foi criada para ser largamente escalavel tanto mais que já é usada pela Google no Earth e no Google Finance.

OBS: Chamam de NoSQL a todas as propostas de estruturas de dados que nao sejam relacionais.

Link: http://labs.google.com/papers/bigtable-osdi06.pdf
http://labs.google.com/papers/bigtable.html