Os regabofes frustrados dum tipo que nao quer ser esquecido

stallman

Stallman, se fosse menos arrogante e maleavel hoje teria sua vida bem direccionada e quem sabe estaria em viagens mundiais para falar sobre o desenvolvimento do HURD o kernel do GNU que até hoje nao foi terminado. Sempre e sempre o mesmo negou que o Linux fosse uma continuidade do fracassado projecto GNU rejeitando por isso qualquer designação GNU/Linux. Hoje já Stallman num artigo escrito a BBC, tentando provar porque ele e mais um pequeno bando de frustrados criou um ódio inesquecivel por Bill Gates, citou assim:

In 1992, when the GNU operating system was completed by the kernel, Linux, you had to be a wizard to run it. Today GNU/Linux is user-friendly: in parts of Spain and India, it’s standard in schools. Tens of millions use it, around the world. You can use it too.

Notaram? Eu nao me admiraria se daqui por algum tempo Stallman volta-sse a aparecer e a rejeitar essa afirmaçao acima, como ele sempre fez.

Mas independentemente de tudo que ele disse, ele é livre de dizer, lembro, nao se pode admitir que venha desqualificar as intenções da fundação de Gates com sua esposa Melinda:

Gates’ philanthropy for health care for poor countries has won some people’s good opinion. The LA Times reported that his foundation spends five to 10% of its money annually and invests the rest, sometimes in companies it suggests cause environmental degradation and illness in the same poor countries. Many computerists specially hate Gates and Microsoft. They have plenty of reasons.

Ou seja tentar reconhecer a utilidade da fundação Melinda e Gates e ao mesmo tempo atacar já a Microsoft como se houvesse alguma relaçao.O mais irritante disto tudo é que nao é de hoje que estamos a ouvir estas reclamações de Stallman. De mes vem, mes vai parece que o mesmo acorda e descobre que odeia a Microsoft.

Mesmo que o mesmo tenha razoes para isso devia aperceber-se que quem realmente faz fica calado (Torvalds, maddog, alan cox, tossatti etc) e Stallman desocupado, tenta nao ser esquecido com estas pérolas que o mundo financeiro olha e ri.

Gates deixa a Microsoft e se concentra em filantropia

bill gates photo

SEATTLE (Reuters) – Percebendo que uma revolução estava por começar na computação pessoal, Bill Gates deixou a Harvard University em 1975 para criar a Microsoft e promover a visão de um computador em cada mesa de trabalho e cada casa.

Passadas três décadas, Gates deixará seu posto naquela que é hoje a maior companhia de software do mundo e passará a trabalhar em tempo integral na organização de caridade–a Bill & Melinda Gates Foundation–que ele criou com sua vasta riqueza.

Gates, 52, cuja aparência juvenil contrasta estranhamente com os cabelos já grisalhos, deixará para trás toda uma vida dedicada ao desenvolvimento de software e concentrará suas energias em promover a descoberta de novas vacinas ou o microfinanciamento de projetos nos países em desenvolvimento.

Em sua condição de maior acionista da Microsoft, Gates continuará a ser o presidente do conselho da empresa e a trabalhar em alguns projetos especiais de tecnologia. A participação de 8,7 por cento que ele detém na companhia vale cerca de 23 bilhões de dólares.

Gates começou a programar computadores aos 13 anos, criando um sistema de agenda para marcar as aulas de sua escola, em Seattle. À medida que adquiria experiência, compreendeu o potencial do software para alterar a maneira pela qual as pessoas trabalhavam, comunicavam e se divertiam.

“Quando eu tinha 19 anos, antevi o futuro e baseei minha carreira nessa visão. Eu estava certo”, escreveu Gates em The Road Ahead, seu livro de 1995.

Ele compreendeu bem cedo na revolução da computação pessoal que o software seria mais importante que o hardware. Com o amigo de infância Paul Allen, ele criou a Microsoft, batizada para simbolizar a missão da nova empresa: criar software para microcomputadores.

Ele foi apresentado aos computadores na Lakeside Preparatory School, uma escola de elite em Seattle, onde aprendeu a programar em linguagem Basic, usando um primitivo computador ASR-33.

Foi em Lakeside que ele conheceu Allen, dois anos mais velho e também fascinado por computadores.

“É claro que na época era só por diversão, ou assim imaginávamos”, relembrou Gates em seu livro.

fonte: yahoo

Bill Gates é contra o software livre

Ele é uma das pessoas para quem simples frases podem ter um efeito multiplicado, simplesmente devido ao seu status. Neste caso, quando o fundador da Microsoft resolve explicar publicamente porque ele decididamente se opõe aos softwares livres e a licença GPL, mesmo dentro de um discurso que não tem nada a ver, a novidade de qualquer modo faz um grande barulho.

E foi durante um discurso diante de profissionais da indústria farmacêutica, em Seattle nos EUA, que Bill Gates explicou a sua oposição ao software livre.

“Existe esta coisa chamada GPL, com a qual não estamos de acordo”, explicou o santo patrono da Microsoft. Segundo ele, esta licença é feita “de tal maneira que uma pessoa realmente não pode melhorar um software”. Ele também explicou que o modelo econômico utilizado com a licença GPL, geralmente a gratuidade total, não é viável e realmente não permite a construção de projetos sérios.

Este discurso não chega a ser uma surpresa dentro da boca de Bill Gates e até mesmo pela sua posição de fundador da Microsoft. De fato, a Microsoft tem multiplicado suas parcerias e promovido outras ações a favor do software livre, principalmente com Linux. Além disso, Bill Gates, que deverá deixar suas funções neste verão (hemisfério norte), não é conhecido por sua virulência em relação a concorrência, pois normalmente quem desempenha este papel é Steve Ballmer, o CEO da Microsoft.

Fonte: Forumpcs

As 50 pessoas mais influentes das TI de todos os tempos

 

Para comemorar o lançamento de sua nova tecnologia de 45nm a Intel pediu que um grupo  de especialistas elaborasse uma lista das 45 pessoas mais influentes sobre as tecnologias de informação de todos os tempos. Eis a lista com Tim Berners-Lee (na foto) a ocupar o primeiro lugar:

1. Tim Berners-Lee
2. Sergey Brin
3. Larry Page
4. Guglielmo Marconi
5. Jack Kilby
6. Gordon Moore
7. Alan Turing
8. Robert Noyce
9. William Shockley
10. Don Estridge
11. Doug Engelbert
12. Robert Metcalfe
13. Vint Cerf
14. Steve Jobs
15. Andrew Grove
16. Seymour Cray
17. Pierre Omidyar
18. Shawn Fanning
19. Dennis Ritchie
20. Ted Hoff
21. Linus Torvalds
22. Shuji Nakamura
23. Dave Packard
24. Jean Hoerni
25. William Hewlett
26. John Logie Baird
27. George Boole
28. Martin Cooper
29. John Pinkerton
30. Grace Hopper
31. Bill Gates
32. Herman Hollerith
33. Thomas Watson
34. Jeff Bezos
35. Meg Whitman
36. Ada Lovelace
37. Nolan Bushnell
38. Claude Shannon
39. Charles Babbage
40. John Chambers
41. Philo Farnsworth
42. Steve Wozniak
43. Larry Ellison
44. Michael Dell
45. Maurice Wilkes