Instalando Flash 10 no Linux Fedora 10 de 64 bits

Muita coisa mudou com a vinda do Fedora 10. Uma delas é o suporte dado pela Adobe ao flash 10 (em estado de desenvolvimento alpha). Com isto alternativas usando wrappers que já foram aqui discutidos nao irao provavelmente funcionar.

Precisava criar um perfil para mais de 200 PCs e era necessario a instalação do flash para computadores com Fedora 64 bits.

O processo afinal era bastante mais simples que o anterior citado acima.

Bastou apenas desinstalar o flash que já lá estava:

cd /usr/lib64/mozilla/plugins/
rm -f libflashplayer.so

Download do flash player 10

wget http://download.macromedia.com/pub/labs/flashplayer10/libflashplayer-10.0.d20.7.linux-x86_64.so.tar.gz

Descompactar

tar -xvzf libflashplayer-10.0.d20.7.linux-x86_64.so.tar.gz

Reinicie o Firefox e já está

Link

O processo NAT

Como o nome mesmo diz, trata-se duma tradução de endereços de rede. Acontece que com a exaustão dos endereços de rede tornou-se necessario encontrar-se formas de permitir a redução do uso de endereços publicos e o NAT juntamente com o uso de endereços privados foi uma das soluções que hoje sao amplamente usadas.

Definiu-se um conjunto de endereços IP que seriam conhecidos como privados e cujos pacotes apenas poderão ser usados numa rede local. Estes pacotes nunca poderão ser roteados para fora ou seja para a Internet.

As seguintes faixas de endereços privados sao conhecidas e usadas

10.0.0.0 até 10.255.255.255

172.16.1.0 até 172.16.31.255

192.168.1.0 até 192.168.255.255

Qualquer uma das faixas acima poderá ser usada para endereçar e criar subredes dentro da sua rede local. Pois bem, então é aí que entra o NAT, porque se estes pacotes sao encaminhados para fora da rede, não serão reconhecidos e como nao sao conhecidos precisam de ser ‘trocados’ por um endereço que seja reconhecido na Internet.

Mas existem ainda algumas coisas a serem identificadas e nomeadas dentro dum processo NAT. Atentemos a figura abaixo:

Concentremo-nos apenas nas redes 10.1.1.0/24 e 10.1.2.0/24

Inside Local IP Address – Endereço da Interface Ethernet do Host 1 (No caso acima a e0 que tem o endereço 10.1.1.2).

Outside Global IP Address – Endereço da Interface Ethernet do Host x (que nao aparece na figura) outra rede ou seja do outro extremo (10.1.2.2)

Inside Global IP Address – Embora nao visto acima, é este endereço que assume os endereços a serem traduzidos. Geralmente sao endereços atribuidos as interfaces de redes ponto a ponto.  Geralmente uma conexão ponto a ponto é vista como se estivesse ligada apenas entre 2 pontos remotos por uma antena e nao sendo tao verdade assim, para não fugir ao assunto dizer apenas que estes 2 pontos extremos para se comunicarem necessitam de ser endereços da mesma rede. Logo se um destes endereços participa do processo NAT e recebe um pacote da sua rede interna ele pode encaminha-lo ao outro extremo que está imaginemos em Cacuaco pois se encontra na mesma rede e vice-versa.

Vamos a um exemplo.

Imagine que você pertença ao provedor EMPRESAx. Assim que se conecta a rede interna do provedor entrega um endereço privado de classe C digamos 192.168.2.57. Vc ainda nao tem acesso a Internet razão pela qual apenas consegue chegar ao gateway da mesma (no Windows tente com um ipconfig e depois um ping) mas não consegue pingar para fora ou seja a Internet.
Então o processo NAT dinamico (já falo disso) é activado e o seu pacote de ping ao chegar a interface de saída do roteador para sair a Internet sofre uma alteração do seu endereço que passa agora a ser um endereço global, já definido pela empresa numa Pool de endereços globais ou por sobrecarga de endereço.
E assim acontece com todo e qualquer pacote que necessite de ir a Internet buscar ou enviar dados. Muito bem, mas já que o endereço foi trocado como o pacote sabe aonde voltar? A pergunta é boa e a resposta é simples e bem conhecida.

Durante o processo NAT em que o  Inside Local IP Address é trocado pelo  Outside Global IP Address, existe uma tabela conhecida como tabela NAT que se encarrega de armazenar tanto o Inside Local IP Address como o Outside Local IP Address para que quando o pacote de volta a rede do provedor receba o pedido o cabeçalho IP seja novamente trocado e o campo de endereço receba novamente o Inside Local IP Address e assim possa ser encaminhado ao respectivo dispositivo (computador, etc).

Tipos de NAT

Nat Estatico – É o NAT mais conhecido. A tradução é realizada endereço por endereço. Nao é aconselhavel para uma rede que possua varios dispositivos.

Nat Dinamico – O mais fiavel. É estabelecido por meio de uma Pool de endereços Globais que estão prontos para serem roteaveis pela Internet.

Pool de endereços – Na realidade quando o processo NAT é realizado de forma dinamica existe uma faixa de endereços publicos devidamente reconhecidos e roteaveis pela Internet que podem ser usados por qualquer dispositivo interno a empresa para tranportar dados. Cabe ao dispositivo (servidor, router) que realiza o processo NAT decidir qual usar. Por exemplo a faixa que vai de 196.3.4.1/24 a 196.3.4.10/24, qualquer um destes endereços da faixa ou pool pode ser usado para endereçar um dispositivo que precisa ir a Internet.

PAT (Port Address Translation) – Tradução de endereços por porta. Neste tipo de tradução um unico endereço Global pode ser usado para muitas maquinas já que a cada endereço Local que recebe o mesmo Global diferencia-se pelo numero da porta. Por exemplo a rede abaixo (Imagem ZDNet):

Este é o exemplo tipico de rede que muitas empresas adotam. Para uma rede domestica elimine o roteador e fique apenas com o MODEM. Note que existem 3 computadores com os endereços de classe C .1, .2 e .3 (abreviando) mas note que o roteador realiza um processo de NAT/PAT trocando os cabeçalhos de cada um dos pacotes enviandos por estes computadores a Internet por um endereço global 213.31.218.101 com a diferença que cada um deles tem uma porta diferente, ou seja  sequencialmente 213.31.218.101:5001, 213.31.218.101:5002 e 213.31.218.101:5003 e assim sucessivamente até alcançar todas as portas válidas( 0 até 2^16), pulando automaticamente ao proximo endereço da Pool (se disponivel) para começar a alocar mais endereços dando deste jeito uma melhor e mais apurada forma de endereçar clientes da rede interna poupando endereços publicos.

Marko Calasan de 8 anos é o mais jovem Profissional Certificado de TI da Microsoft

Já tinha falado aqui da menina Indiana de 9 anos que fez uma certificação da Microsoft. Desta vez um garoto da Macedonia Marko Calasan de apenas 8 anos bateu este record mundial ao completar uma certificação Microsoft. Gosta de matematica, fisica e astronomia, bem como ajuda os pais que sao tecnicos e professores de Informatica a resolver problemas. Outras vezes participa em debates complexos de informatica na Internet.

Pela sua capacidade recebeu como premio um lab com 15 computadores.

Agora eu pergunto. O que será este rapaz quando tiver 15 anos de idade? Um tecnico altamente capacitado. É o que digo é necessario abominar cada vez mais os hi5’s etc. Não é somente com cursos que vamos um dia ter tecnicos capacitados, é preciso também um bocado de ‘traquinice’ desenvolvida pelo gosto ao assunto, não pela mera obrigação.

Angola vai ter este ano sistema anti-fraude nas comunicações

Luanda – Angola Telecom está a implantar um sistema anti-fraude na rede de telecomunicações, com tecnologia de ponta, que deverá entrar em funcionamento, ainda este ano, “para proteger a rede das acções dos defraudadores, combater o fenómeno e desencorajar os prevaricadores.

Em entrevista à Angop, o administrador da Angola Telecom para área Comércial, António Briffel Neto, disse terça-feira, em Luanda, que o sistema anti-fraude custou cerca de um milhão e 700 mil dólares norte-americanos e assegurou tratar-se de um instrumento eficiente que vai permitir ao país controlar a rede nacional de telecomunicações e evitar roubos de elevadas somas de dinheiro por fraudes.

Por outro, disse o administrador, a Telecom defende a existência de uma legislação específica sobre as fraudes em Telecomunicações, que tenha em conta os vários tipos de crime desta índole e a existência de mecanismos de gestão de fraudes que permitam defender os interesses do Estado angolano e das operadoras do sector.

Angola Telecom, em colaboração com a Polícia de Actividades Económicas, tem desenvolvido acções tendentes a detectar e desmantelar grupos de defraudadores nacionais e estrangeiros “oportunistas e organizados”, cuja actividade tem causado danos consideráveis à economia nacional.

Segundo António Briffel Neto, a Telecom, enquanto “operadora incumbente”, já pensa na necessidade de constituir uma associação nacional ( e mesmo regional) da luta anti-fraude, para o controlo e o desmantelamento de zonas ácidas (locais de concentração dos defraudadores), para minimizar os níveis de fraudes (oportunistas, organizado, subscrição).

A empresa está a implementar, desde Julho de 2008, um projecto de expansão e modernização da rede fixa de telecomunicações, avaliado em USD 102 milhões, que abrange as províncias de Malanje, Zaire, Bié, Moxico Kuando Kubango e lundas Norte e Sul, cuja conclusão preve-se para finais de 2010. A implementação deste projecto vai permitir a instalação no país de novas redes de acesso de cobre e sem fio, de 3276 quilómetros de fibra óptica, e de seis mil linhas telefónicas, bem como a instalação de mil e 392 linhas VSAT, 761 de Internet em banda larga (ADSL) e de 13 mil linhas fixas sem fio (CDMA).

Expansão e modernização da rede na região Este de Angola termina em 2010

Luanda – Um projecto de expansão e modernização da rede fixa de telecomunicações, avaliado em USD 102 milhões, que abrange as províncias de Malanje, Zaire, Bié, Moxico Kuando Kubango e lundas Norte e Sul, será concluído em 2010, informou hoje (terça-feira) à Angop o administrador da Angola Telecom, António Briffel Neto.

Numa entrevista exclusiva à Angop, António Briffel Neto disse que o designado “Projecto de expansão e modernização de telecomunicações da região Este” do país, com término antes previsto para Março de 2009, será concluído em 2010, devido a diversos constrangimentos relacionados com a existência de minas nas zonas de implementação.

O gestor apontou também como dificuldades na celeridade da execução das obras, além do factor minas, o atraso no desalfandegamento dos equipamentos provenientes da China e a chuva nas zonas de difícil acesso.

A existência de minas anti-pessoal e as chuvas em determinadas regiões onde vai passar a rede não permitiu o levantamento oportuno das necessidades, fazendo com que o arranque do projecto, inicialmente previsto para Março de 2006, se tenha verificado
apenas em Julho de 2008, provocando o prolongamento do prazo de conclusão para 2010.

Os pontos críticos da implementação do projecto, segundo a fonte, são os corredores Kuito (Bié), Luena (Moxico), Malanje, Saurimo (Lunda Sul).

A implementação deste projecto vai permitir a instalação no país de novas redes de acesso de cobre e sem fio, de 3276 quilómetros  de fibra óptica, e de seis mil linhas telefónicas.

Vai permitir, igualmente, a instalação de mil e 392 linhas VSAT, 761 de Internet em banda larga (ADSL) e de 13 mil linhas fixas sem fio (CDMA).

Até ao final do primeiro trimestre deste ano, de acordo com António Briffel Neto, prevê-se que a província do Zaire, nomeadamente, as regiões do Soyo e Tomboco, tenham já ligados os cabos de fibra óptica , pelo facto dos troços estarem desminados .

O projecto de expansão e modernização da rede de telecomunicações na região Este foi financiado pelo Estado angolano e está a ser implementado pela empresa chinesa ZTE.

Em termos de perspectivas, disse o administrador, a Angola Telecom prevê instalar, nos próximos quatro anos, um milhão de linhas de telefonia fixa sem fio, uma tecnologia que pelas características geográficas de Angola vai proporcionar muitas vantagens aos
cidadãos.

A Angola Telecom, empresa pública, detém o controlo da rede básica nacional de telefonia, desempenha um papel de servidor junto de outras operadoras de telefonia fixa e móvel.

A Telecom atende, actualmente, 250 mil clientes e, de acordo com o director comercial, Eduardo Fraústo, em 2008 a empresa registou 23 mil novos subscritores.

Google encerra seis de seus serviços

O corte de gastos na Google terminou não apenas na demissão de 100 funcionários em escritórios internacionais, como também no término do desenvolvimento seis serviços oferecidos gratuitamente.

Segundo o site InformationWeek , a companhia fechará a rede social para celulares Dodgeball; o serviço Google Mashup Editor, que permitia criar aplicações baseadas em serviços web; o Google Catalog Search, capaz de buscar informações em catálogos.

Mais notável ainda foi a notícia do fechamento da rede social Jaiku, que terá seu código aberto e será inserida posteriormente no Google App Engine. A ação facilitará a criação de outros serviços de microblog.

O serviço Google Notebook será mantido, mas não receberá mais atualizações, e o site Google Video também sofrerá com o corte de gastos. Em alguns meses a empresa não permitirá o envio de novos clipes, porém manterá no ar o atual catálogo, esclareceu o site TG Daily .

Fonte: yahoo