Yahoo Messenger 10 beta lançado

E antes que digam qualquer coisa , sim eu continuo a usar softwares da Yahoo.

Download aqui.

Anúncios

Diretor-executivo, Jerry Yang, renuncia e Yahoo! fica à deriva

O diretor-executivo do Yahoo!, Jerry Yang, concordou em renunciar a seu cargo, deixando a ameaçada gigante da Internet sem um líder claro e aumentando a possibilidade de que algum comprador tente adquirir a companhia. O Yahoo!, que no início deste ano foi alvo de uma oferta considerada hostil de US$ 47,5 bilhões feita pela Microsoft, declarou ontem que tinha contratado uma agência para buscar um sucessor para Yang. Ele foi co-fundador da empresa, há 13 anos, quando ainda era estudante da Stanford University.

O Yahoo! afirmou que consideraria candidatos ao cargo interna e externamente. A atual presidente Sue Decker é uma das avaliadas, segundo fontes ligadas ao caso. Não ficou claro por que a empresa não a apontou imediatamente para o cargo ou porque a demissão de Yang foi anunciada sem que um nome para a sucessão tivesse sido escolhido.

O novo CEO vai encarar uma série de difíceis desafios, incluindo o de tentar reverter a brusca queda do Yahoo! no negócio da publicidade online. O executivo poderá se ver ainda na incômoda situação de tentar firmar um acordo com potenciais compradores, estando na clara condição de mais fraco. A reação à notícia da saída de Yang foi rápida. As ações do Yahoo!, que tinham caído 1,8%, a US$ 10,63 durante o pregão regular, saltaram para US$ 11,10 no pregão after hours.

Fonte: yahoo

Yahoo e Icahn fecham acordo, negócio com Microsoft pode esfriar

O Yahoo vai apontar o investidor Carl Icahn e dois de seus indicados para seu conselho, num acordo que encerra uma batalha pelo comando da empresa e torna menos provável um negócio imediato com a Microsoft .

O acordo, anunciado nesta segunda-feira, surgiu apenas 11 dias antes da assembléia anual dos acionistas, na qual Icahn desejava originalmente substituir todo o conselho por seu indicados e derrubar o presidente-executivo, Jerry Yang.

Mas Icahn não parecia contar com o apoio de proeminentes acionistas do Yahoo, como Bill Miller, administrador do fundo de investimento Legg Mason, que na sexta-feira anunciou apoio ao conselho da companhia. O Legg Mason detém 4,4 por cento do Yahoo, segundo informações prestadas às autoridades regulatórias.

A preocupação deles era a de que, além de uma venda para a Microsoft –que indicou que só está interessada em comprar o serviço de buscas do Yahoo–, Icahn não apresentou planos concretos para reverter a situação da companhia, que vem perdendo participação no mercado de buscas para o Google .

“Pode ser que isso gere alguma mudança positiva. Talvez Icahn consiga promover mais reduções de pessoal e convencer a empresa a vender seus investimentos na Ásia”, disse Jeffrey Lindsay, analista da Sanford C. Bernstein, sobre o acordo.

“No geral, isso parece tornar muito menos provável uma transação com a Microsoft… Temos o que parece ser um compromisso e, em termos gerais, a maioria desses compromissos, e certamente os que envolveram Icahn no passado, reforçaram a situação vigente.”

As ações do Yahoo recuavam 2,8 por cento, para 21,82 dólares, às 12h (horário de Brasília). O preço está bem abaixo da última oferta da Microsoft, no valor de 33 dólares por ação, retirada em maio.

Depois de meses de negociações com a Microsoft, que solaparam a credibilidade de Yang e sua equipe em Wall Street, o acordo com Icahn pode sustentar a posição do Yahoo, pelo futuro próximo.

Fonte:Yahoo

Microsoft e Yahoo retomam negociações–TechCrunch

NOVA YORK (Reuters) – A Microsoft voltou a conversar com o Yahoo acerca de sua aquisição, afirmou o blog de tecnologia TechCrunch nesta terça-feira, citando fontes não identificadas de ambas as empresas.

Tanto a Microsoft quanto o Yahoo preferiram não comentar o assunto.

“A informação que temos é escassa, mas uma fonte está afirmando que a Microsoft está negociando um preço abaixo dos 33 dólares por ação que eles ofereciam quando as negociações se encerraram em maio”, afirma o blog.

As ações do Yahoo subiam 5,73 por cento, para 22,68 dólares no Nasdaq na parte da tarde.

fonte:yahoo

Microsoft lança campanha contra acordo Yahoo-Google

WASHINGTON (Reuters) – A Microsoft lançou uma campanha nesta sexta-feira para inscrever aliados em sua oposição ao novo acordo de colaboração selado entre Google e Yahoo, segundo duas fontes familiares ao assunto.

Um dia depois de as companhias anunciarem um acordo que permite ao Google vender anúncios nos sites do Yahoo, a Microsoft entrou em contato com grupos de advogados que atuam junto à elaboração de políticas em Washington.

De acordo com uma fonte que foi contactada pela Microsoft, a companhia de software disse em um email que o acordo Google-Yahoo poderá “limitar as opções para anunciantes e publicitários” e “destruir alternativas competitivas”.

De forma mais específica, a Microsoft adotou a visão de que o acordo tem relação com uma fixação de preço entre as duas companhias, com o estabelecimento de um preço mínimo para os anúncios em algumas palavras-chave, de acordo com outra fonte familiar ao assunto.

A Microsoft também acredita que o acerto entre elas vai levar ao fim do negócio de buscas do Yahoo, eliminando um competidor do mercado.

A Microsoft preferiu não comentar o acordo entre Google e Yahoo. O porta-voz Jack Evans, no entanto, reiterou nesta sexta-feira que o acordo entre as duas empresas poderá tornar o segmento de publicidade na Internet menos competitivo

Yahoo anuncia acordo comercial com o Google

Os esforços do Yahoo de retomar as negociações com a Microsoft chegaram ao fim, sem sucesso, abrindo espaço para a empresa de internet fechar uma parceria com o concorrente Google. A notícia fez com que os papéis do Yahoo caíssem ontem 10,1% na bolsa eletrônica Nasdaq, no momento em que os investidores abandonaram a esperança de que os esforços da Microsoft para comprar o Yahoo, que se arrastaram por quase cinco meses, teriam um resultado favorável.

O Yahoo e o Google anunciaram um acordo não-exclusivo em publicidade para buscas, que pode gerar até US$ 800 milhões em receitas anuais. A parceria prevê que o Yahoo poderá veicular anúncios fornecidos pelo Google ao lado de seus próprios resultados de busca e em alguns de seus sites nos Estados Unidos e no Canadá. O Yahoo decidirá que anúncios vendidos pelo Google irá mostrar e ao lado de que termos de busca.O acordo tem quatro anos de duração, com opção de renovação por um período de até 10 anos.

A reação dos investidores ao fim das negociações com a Microsoft vem num momento ruim para o Yahoo e seu conselho. A empresa tenta combater um motim de investidores liderado pelo bilionário Carl Icahn, que quer destituir o conselho por causa da maneira como foram conduzidas as negociações com a Microsoft.

O destino do conselho do Yahoo será decidido na reunião anual marcada para 1º de agosto. A empresa de internet tentou convencer a Microsoft a retomar sua oferta de US$ 47,5 bilhões, ou US$ 33 por ação, mas a empresa de software não quis oferecer uma quantia tão alta novamente, segundo comunicados das duas empresas.

O presidente da Microsoft, Steve Ballmer, retirou uma oferta oral de US$ 33 por ação depois de o presidente do Yahoo, Jerry Yang, ter pedido US$ 37 por ação em um encontro em 3 de maio, no aeroporto de Seattle. Logo depois disso, a Microsoft tentou convencer o Yahoo a vender somente sua operação de buscas. Mas o Yahoo concluiu que seu mecanismo de busca – o segundo mais popular, depois do Google – era muito importante para ser vendido separadamente.

O Yahoo informou que a Microsoft se recusou a comprar toda a empresa em um encontro no domingo. Sem explicar a lógica, a Microsoft informou acreditar que um acordo envolvendo o mecanismo de busca do Yahoo traria mais valor à empresa de internet.

Fonte: Yahoo

Yahoo!: Icahn indica preço mínimo para venda da empresa à Microsoft

O investidor ativista Carl Icahn pediu que o conselho de administração do Yahoo! “pare de dançar em torno do assunto” e ofereça publicamente a venda da companhia à Microsoft por US$ 34,375 a ação. Icahn enviou mais uma carta áspera ao presidente do conselho Yahoo!, Roy Bostock.

Icahn acrescentou que, para a continuidade de qualquer negociação com a Microsoft relacionada às chamadas transações alternativas, seria necessário que o preço da ação do Yahoo chegasse a pelo menos US$ 33, cenário que ele considera improvável. A missiva é a mais recente numa seqüência de cartas que foram trocadas na batalha entre Icahn and Comstock.

Na carta de hoje, Icahn escreveu que seus indicados para o conselho, caso sejam eleitos no próximo mês durante a assembléia de acionistas do Yahoo!, tomarão uma série de medidas, incluindo a fixação de um piso para as negociações com a Microsoft. Se não for bem sucedido, o Yahoo! então buscaria um novo acordo sobre os mecanismos de busca com o Google, desde que isso não “impedisse uma subseqüente compra pela Microsoft”.

O preço de R$ 33 é o que a Microsoft apresentou há um mês, em sua oferta revisada. Nas últimas semanas, as duas empresas têm conversado sobre um possível acordo alternativo que não envolvesse a compra do Yahoo!.

A companhia de internet rejeitou a carta de Icahn, dizendo que ele “não tem um plano confiável para operar o Yahoo!”. Às 13h41, as ações do Yahoo! subiam 0,04%, para US$ 26,37. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Yahoo