Microsoft lança campanha contra acordo Yahoo-Google

WASHINGTON (Reuters) – A Microsoft lançou uma campanha nesta sexta-feira para inscrever aliados em sua oposição ao novo acordo de colaboração selado entre Google e Yahoo, segundo duas fontes familiares ao assunto.

Um dia depois de as companhias anunciarem um acordo que permite ao Google vender anúncios nos sites do Yahoo, a Microsoft entrou em contato com grupos de advogados que atuam junto à elaboração de políticas em Washington.

De acordo com uma fonte que foi contactada pela Microsoft, a companhia de software disse em um email que o acordo Google-Yahoo poderá “limitar as opções para anunciantes e publicitários” e “destruir alternativas competitivas”.

De forma mais específica, a Microsoft adotou a visão de que o acordo tem relação com uma fixação de preço entre as duas companhias, com o estabelecimento de um preço mínimo para os anúncios em algumas palavras-chave, de acordo com outra fonte familiar ao assunto.

A Microsoft também acredita que o acerto entre elas vai levar ao fim do negócio de buscas do Yahoo, eliminando um competidor do mercado.

A Microsoft preferiu não comentar o acordo entre Google e Yahoo. O porta-voz Jack Evans, no entanto, reiterou nesta sexta-feira que o acordo entre as duas empresas poderá tornar o segmento de publicidade na Internet menos competitivo

Executivos da Microsoft e Yahoo se reúnem para discutir acordo

SÃO FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) – Importantes executivos da Microsoft e do Yahoo se encontraram na última segunda-feira para discutir a proposta de compra feita pela gigante do software à companhia de Internet, informaram fontes próximas às duas companhias.

O encontro foi o primeiro desde a oferta não solicitada da Microsoft, de cerca de 42 bilhões de dólares, anunciada em 31 de janeiro. A diretoria do Yahoo rejeitou a proposta no mês passado, por considerá-la inadequada.

A reunião, no entanto, não teve a presença de bancos e, por isso, não pode ser considerado efetivamente uma negociação, segundo as fontes.

A reunião serviu para que a Microsoft apresentasse aos executivos do Yahoo sua visão de uma empresa combinada, segundo o Wall Street Journal, primeiro a relatar o encontro, citando fontes próximas às empresas.

O jornal afirmou que nenhum detalhe financeiro foi discutido e que não teve acesso aos nomes dos executivos que participaram da reunião. As duas companhias preferiram não comentar o assunto.

Desde que o Yahoo rejeitou a oferta, nenhuma outra proposta de compra chegou à companhia, assim como a Microsoft não alterou sua oferta, o que deixou as empresas em um impasse.

O Yahoo manteve conversas com a News Corp. e com a AOL, da Time Warner, segundo fontes ouvidas pela Reuters. O encontro com a Microsoft faz parte da estratégia do Yahoo de manter todas as opções em aberto, segundo pessoas próximas da empresa.

O principal executivo da News Corp., Rupert Murdoch, no entanto, afirmou que não teria como fazer frente à oferta da Microsoft, enquanto a AOL anunciou nesta quinta-feira a compra da empresa de redes sociais Bebo, o que pode ser um sinal de que seus controladores não têm planos de se envolver com o Yahoo.

A oferta da Microsoft chegava a 45 bilhões de dólares quando foi anunciada, mas a queda de 12 por cento nas ações do Yahoo desde então fizeram com que a proposta caísse para 42 bilhões de dólares.

Fonte: Yahoo

Microsoft vai autorizar compra hostil de ações do Yahoo

SEATTLE (Reuters) – A Microsoft vai autorizar uma operação de compra hostil de ações do Yahoo esta semana para convencer a companhia de Internet a aceitar uma proposta de aquisição que tem sido rejeitada até agora pela direção da empresa, informou o blog Dealbook do New York Times.

Citando pessoas com conhecimento do assunto, o site do Times publicou que a Microsoft, que pode elevar a oferta composta por dinheiro e ações e avaliada originalmente em 44,6 bilhões de dólares, tentará nomear um grupo de diretores até 13 de março se o conselho do Yahoo não aceitar negociar.

Um porta-voz da Microsoft informou que a companhia sempre afirmou que se reservou direito de exercer todas as opções, mas não comentou especificamente sobre a informação do Dealbook.

Uma fonte próxima do assunto disse à Reuters que a compra hostil de ações custará de 20 milhões a 30 milhões de dólares. Apesar disso, a fonte disse que não tem conhecimento se a companhia tomou a decisão de promover a estratégia.

Mais

Com ou sem Yahoo Microsoft investirá pesado no segmento de buscas e publicidade

O guru da gigante de Software, Bill Gates anunciou que com ou sem a aquisição da Yahoo a sua empresa continuará a apostar fortemente no mercado de buscas e publicidade online. Apesar disso Gates afirma que uma eventual aquisição da Yahoo (cuja oferta de compra considerou bastante justa) trará beneficios consideraveis a empresa, ja que reunirá esforços de engenheiros competentes dos dois lados e assim colocar-se numa posição que lhes permita lutar lado a lado com a gigante dominante do sector, a Yahoo.