(Actualizado)Em Angola: Facebook ultrapassa Sonico e torna-se segunda rede social atrás do Hi5

Ultimamente tenho-me interessado pelo Facebook. Esta rede social destaca-se pela facilidade de uso e algoritmos poderosos para encontrar amigos, colegas, eventos etc. O facto de ser a rede social mais usada no mundo com mais de 500.000.000 de usuários poderia transforma-la num activo difícil de gerir. Bom, mas não é. Zuckerberg e companhia sabem do valor da sua empresa: 10 a 15 mil milhões de dólares norte-americanos. Os investimentos em hardware e novas tecnologias sao constantes, daí a sua estabilidade. Zuckerberg nada faz quase em termos de gestão de infra: Cuida apenas de negócios e claro, de programação num pequeno mas confortável escritório:

Que confusão!!! Bom, regressando a Angola o Facebook aqui vinha crescendo de forma um pouco tímida, mas ao que consta parece assumir cada vez mais uma posição de segunda rede social atrás do ‘incontestável’ Hi5 a rede social ‘natural’ de milhares de Angolanos.

O crescimento do Facebook é tão acentuado que de Janeiro a Agosto de 2010 teve um impressionante crescimento de 46% ultrapassando a rede latina Sonico.com com 63.987.00 usuários. O Facebook possui até Agosto deste ano 66.440.00 usuários Angolanos:

As estatisticas mostram que a relação homem VS mulheres a usar o Facebook em Angola:

Se continuar a crescer assim tudo leva a crer que o Facebook possa chegar em Angola a números perto da rede dominante Hi5. E quando ao Hi5 a sua presença dominante em Angola tem que ver com a sua presença dominante em Portugal. Quando Portugal se render ao Facebook o que tem acontecido em toda Europa menos em Portugal então o Hi5 perderá a sua presença em Angola a favor do Facebook.

Actualizacao: Pelo alerta do usuário Sergio Mendes o Facebook ja ultrapassou o Hi5 em Portugal. Bom isso significa que deverá faze-lo brevemente em Angola, LOL. Fui verificar no alexa e realmente o facebook é o segundo site mais vistado em Portugal.

Fonte: http://www.facebakers.com/countries-with-facebook/AO/

Anúncios

Criando user views no Cisco IOS

Dependendo de como quisermos um usuario nao precisa  de ter acesso a todos os comandos num equipamento Cisco. Um operador de Hub precisa as vezes de apenas ter acesso a comandos de troubleshotting como ping, debug etc. Um tecnico de roteamento precisa de ter acesso a comandos de configuracao de roteamento rip, eigrp, ospf etc.

A tecnica da cisco para isso é o modelo AAA de Autenticacao, Autorizacao e Contabilizacao (Accounting). Com o modelo AAA activado podemos definir visoes (views) para determinados usuarios que se autentiquem no sistema:

1 – Habilitar o modelo AAA.
2 – Definir uma senha enable e entrar na root view.
3 – Criar tantas views quantas quisermos.
4 – Em cada view criada definir uma senha enable secret.
5 –  Em cada view atribuir os comandos de visao.
6 –  Sair da root view.
7 – Entrar na view desejada.

Exemplo:

1 – Criar uma view que atribua a um usuario os seguintes direitos: configurar roteamento rip e eigrp, configurar linhas de consola e auxiliar bem como realizar ping e debug:

SNNANGOLA(config)#aaa new-model
SNNANGOLA(config)#enable secret cisco
SNNANGOLA(config)#parser view SNNANGOLAVIEW1
SNNANGOLA(config-view)#%PARSER-6-VIEW_CREATED: view ‘SNNANGOLAVIEW1’ successfully created.
SNNANGOLA(config-view)#secret cisco
SNNANGOLA(config-view)#commands router include rip
SNNANGOLA(config-view)#commands router include eigrp
SNNANGOLA(config-view)#commands line include console
SNNANGOLA(config-view)#commands line include aux
SNNANGOLA(config-view)#commands exec include ping
SNNANGOLA(config-view)#commands exec include reload

Router(config)#aaa new-model
Router(config)#enable secret cisco
Router(config)#parser view SNNANGOLAVIEW1
Router(config-view)#%PARSER-6-VIEW_CREATED: view ‘SNNANGOLAVIEW1’ successfully created.
Router(config-view)#secret cisco
Router(config-view)#commands router include rip
Router(config-view)#commands router include eigrp
Router(config-view)#commands line include console
Router(config-view)#commands line include aux
Router(config-view)#commands exec include ping
Router(config-view)#commands exec include reload

Rack Unit: 1U

Um projetista de redes precisa nao apenas de entender os aspectos logicos duma rede, mas tambem de ser capaz de projectar a infraestrutura da mesma de modo a acolher futuros crescimentos ou equipamentos. As racks ou armarios fazem parte deste processo e podem ser facilmente identificadas pela unidade rack unit ou U (1U) que mede o tamanho vertical dos equipamentos montados na rack. Um 1U equivale a 4.45 no SI e 1.75 polegadas no sistema Americano.

É normal encontrar racks da APC de no maximo 48U para servidores ou de 24, 25U, etc, dependendo da sua necessidade.

O que sao: CSU/DSU, DTE e DCE?

Bom. Realmente com a falta de laboratórios e muita teoria, não raro muitos estudantes de networking aprendem conceitos teóricos e deixam de lado teorias importantes. Um técnico ou engenheiro não pode mais usar termos populares. Tem de entender os termos técnicos e saber usa-los quando for vender o seu ‘peixe’.

DTE – Data Terminal Equipment ou equipamento de terminação de dados. Como o nome diz é o equipamento onde os dados terminam e onde também podem ser iniciados. Um DTE pode ser um computador, ou um roteador. Geralmente este dispositivo prepara a informação a ser enviada/recebida a linha de comunicação pelo usuário.

DCE – Data Communications Equipment, Data Circuit-terminating Equipment, como o nome o diz é o equipamento responsável por realizar a comunicação dos dados. Isto pode fazer alguma confusão se pensarmos num roteador do outro lado a servir como DCE como muitas das vezes pensamos.  Na verdade o DCE serve para realizar algumas tarefas importantes na transmissão de dados entre dois dispositivos como determinar a frequência de clock, a determinação dos erros de transmissão  e a codificação, enfim a definição de como se envia e como se recebem os dados. Isso significa que um DCE pode ser um dispositivo ligado directamente ao roteador ou uma interface com estas capacidades.

A razão porque você precisa de um DCE tem a ver com a mesma razão porque você precisa dum cabo crossover para ligar dois computadores directamente sem necessitar dum comutador. É necessário saber como (e que pinos tratando-se de cabos seriais) se enviam os dados, e o DCE trata disso automaticamente. Por isso é que nos laboratórios Cisco você pode usar um cabo serial padrão V35 para fazer isso:

Mas note que em se tratando de comunicação entre um computador e um modem num caso em que se usa ADSL o computador é o DTE e o modem o DCE, pelas razoes já definidas antes: Alguém precisa de dizer como os dados são transmitidos.

CSU/DSU – Está aí um termo que faz confusão a muito boa gente. Channel Service Unit/Data Service Unit como o nome sugere é um equipamento que diz ao DTE dum lado e o DCE do outro para se ‘casarem’ :

Um dado importante é que hoje em dia muitos roteadores vêem equipados com CSU/DSU nas suas interfaces WIC de modo que não mais é necessário usar um separado. De modo que a tarefa de ligar um roteador a um circuito digital tal como a uma hierarquia PDH/E1, ou a um link ponto a ponto ligado a um provedor de serviços, não precisa mais de um CSU/DSU separado do roteador como este da figura acima.

Redes GSM: Ainda estamos vulneraveis?

Pelo menos foi isso que tentou demonstrar o pesquisador Inglês Chris Paget (no meio da foto acima). Falando a uma conferencia ele realizou uma demonstração pratica de GSM Spoofing e ataque man-in-the-middle (MITM) em padrao 2G. O conceito parte numa especificação do GSM que diz que uma autenticação parte dum dispositivo para uma rede e não também duma rede para um dispositivo. Neste caso uma BTS pirata pode ser introduzida ao meio da comunicação do telefone (dispositivo) interceptando todas comunicações e roteando-as as BTSs do operador.

Uma questão que pode ser colocada tem que ver com a encriptação, afinal as chamadas são encriptadas,  o que tornaria então o ataque inútil.

Acontece que mesmo ali basta a BTS pirata forçar o telefone a operar em modo A5/0.

No caso de redes 3G apesar da aparente protecção ele afirma poder forçar um telefone 3G a passar a 2G e deste modo capturar os seus dados bastando para isso enviar um sinal de interferência de ruído (jamming noise) ao telefone  e interceptar as chamadas.

Fonte1: http://www.wired.com/threatlevel/2010/07/intercepting-cell-phone-calls/
Fonte2: http://www.ultracognitivo.com/2010/08/usuarios-gsm-as-suas-chamadas-podem.html