Endereçamento IP Básico III. CIDR e VLSM. Que diferenças?

Boa pergunta. É bem verdade que estes dois termos causam alguma confusão. Um amigo fez-me esta pergunta e eu para o responder com clareza disse a ele:

O CIDR trabalha da direita para a esquerda e o VLSM da esquerda para a direita.

Embora a afirmação acima possa ser discutida nao está muito longe da verdade. Na realidade já falei de CIDR aqui embora não tenha dito. Mas vamos por partes:

CIDR –  Classless Inter Domain Routing. Foi a tecnica encontrada para se combater o disperdicio de endereços. Como já referi na materia cujo linka apontei acima, desnecessariamente uma empresa que recebesse um endereço de classe A tinha um numero de endereços IP muito grande quando não precisava de tal número. Com o CIDR nao importa a classe para se determinar o número de endereços necessarios. Importa sim a quantidade necessaria. Daí que o uso dum prefixo que indica o numero de bits da mascara de subrede e nao da representação em decimal foi uma solução encontrada para possibilitar um melhor entendimento nos calculos de endereçamento. Por exemplo 192.168.1.1/255.255.255.0 pode ser representado por 192.168.1.1/24. Se ainda possui duvidas sobre isso leia o primeiro artigo.

Existem tabelas de consulta que permitem analisar como todo processo funciona e facilitar nos calculos. Agora, eu nao recomendo o uso delas, acho completamente desnecessario, e depois você um dia entenderá porque eu digo isso, pois espere para ver IPv6 e perceberá. Uma dessas tabelas segue abaixo:

VLSMVariable Lenght Subnet Mask ou mascara de subrede de tamanho variavel. É uma das outras tecnicas que apareceram para tentar salvar o espaço de endereçamento. Basicamente o seu conceito é simples:
Dentro duma subrede é possivel criar outras subredes. Por exemplo, a uma determinada rede é entregue o seguinte endereço: 192.168.3.0/24. Pede-se em seguida que a partir deste endereço crie-se 5 subredes nomeadamente 3 subredes com 30, 20 e 10 hosts além de mais 2 subredes com 2 endereços cada para albergar ligações ponto a ponto.

Este será o nosso proximo assunto e usarei um diagrama para melhor explanação.

Oferta de vaga: Web Designer

A empresa canadense Aiyra Technologies(http://www.aiyra.ca/), está contratando web designers vindos de qualquer parte do território Angolano. Os contratados irão trabalhar em suas próprias residências e deverão cumprir os seguintes pré-requisitos para competir a vaga.

  • Conhecimento pleno e experiência comprovada na criação de sites usando XHTML e CSS
  • Possuir habilidade para criar layouts e conceitos visuais para os sites.(experiência em programas gráficos: Photoshop, Fireworks, Corel draw …etc qualquer programa é válido desde que você possa produzir bons layouts)
  • Possuir computador em sua residência.
  • Possui internet banda larga em sua residência.
  • Queremos colaboradores dinâmicos e que aprendam rápido, desenvolvendo sua autonomia ao lidar com problemas diversos.
  • Não é necessário ter conhecimento da língua Inglesa. Entretanto, candidatos com esse conhecimento terão pontos a mais durante o processo seletivo.

Muito importante:

  • Deverá constar no currículo sua pretensão salarial para 8horas de trabalho diário(segunda á sexta).
  • Queremos ver seu portfolio de sites e, caso possua, de materiais gráficos(folders, anúncios …etc), animações.

Os candidatos escolhidos receberão os seguintes benefícios:

  • Férias de 30 dias já a partir do primeiro ano de trabalho.
  • Remuneração mesmo enquanto estiverem na fase treinamento.

Interessados por favor enviar currículo/portfolio para: ttavares@aiyratechnologies.com

Instalando DotNetNuke num ambiente Windows Vista com IIS 7.0 e SQL Server 2005

A instalação do sistema de portais DotNetNuke nao é fácil. Basta ver o numero de posts em foruns de Internet pedir uma helpzita. Tive também os meus problemas, mas confesso que em ambiente Windows Vista foi muito mais acessivel. Acima de tudo lembre-se que nao existem 2 ambientes iguais e cada caso é um caso embora existam padrões a seguir.

Requisitos:

DotNet Framework 2.0 (minimo)
SQL Server 2005 (minimo), instalado e configurado (Download aqui).
DotNetNuke 4.0.2 Install (Download aqui)
IIS 7.0

Comece por navegar a drive C (ou outra de sua escolha). Crie um diretorio e atribua um nome por exemplo DotNetNuke. Descompacte o .zip e extraia dentro da pasta

c:\DotNetNUke\

Abra o IIS 7.0 com o MMC (Microsoft Management Console) basta ir a linha de comando e digitar mmc, depois adicionar o Snap-In Gerenciador dos Serviços de Informação da Internet:

1

Crie um diretorio virtual de nome DotNetNuke. Para isso basta ir em Default Web Site e com o botao direito do Mouse escolher Adicionar Diretório Virtual. Coloque como exemplificado abaixo:

2

Notará que o Diretorio Virtual DotNetNuke já foi criado. Basta agora converte-lo a aplicativo. Para isso clique nele com o botão direito do seu mouse e clique em Converter Para Aplicativo.

ii7-mmc

Resta-nos agora configurar a aplicação. Para tal é necessario configurar uma base de dados no SQL Server 2005. Assumindo que já está instalado resta-nos apenas entrar com o SQL Server Management Studio Express:

31

Clique em Databases, escolha New Database e dê o nome DotNetNuke Em Object Explorer expanda DotNetNuke e escolha Security e clicando com o botão direito do mouse New->User

41

Preencha os campos User Name e Login Name. Com relação ao Login Name é importante criar antes um usuario no Windows que será o Login Name isso se nao tiver já um. No meu caso como tenho um usuario snnangola no meu computador bastou-me escolher este.

Ainda dentro da caixa mais abaixo em DataBase Role Membership marque a opção db_owner (isto é muito importante). Depois de tudo concluido clique em OK. O novo usuario está criado para a DataBase DotNetNuke.

5

Resta agora indicar a aplicação os dados inseridos acima. Para tal vá até a pasta

c:\DotNetNuke e renomeie web.config para web.config.old (ou outra coisa a sua escolha) e release.config para web.config. Altere as seguintes linhas da forma como está abaixo alterando apenas a uid e a password da DataBase:

<connectionStrings>

<!– Connection String for SQL Server 2005 Express –>
<add name=”SiteSqlServer” connectionString=”Data

Source=.\SQLExpress;AttachDbFilen

ame=|DataDirectory|Database.mdf;Integrated

Security=True;User Instance=True” providerName=”System.Data.SqlClient” />
<!– Connection String for SQL Server 2000/2005

<add
name=”SiteSqlServer”

connectionString=”Server=

(local);Database=DotNetNuke;uid=snnangola;pwd=PASSWORD_DE_SNNANGOLA;”
providerName=”System.Data.SqlClient” />
–>
</connectionStrings>

<appSettings>
<!– Connection String for SQL Server 2005 Express – kept for backwards compatability

– legacy modules –>

<add key=”SiteSqlServer” value=”Data

Source=.\SQLExpress;AttachDbFilename=|DataDirectory|Database.mdf;Integrated

Security=True;User Instance=True” />

<!– Connection String for SQL Server 2000/2005 – kept for backwards compatability –

legacy modules

<add key=”SiteSqlServer” value=”Server=

(local);Database=DotNetNuke;uid=snnangola;pwd=PASSWORD_DE_SNNANGOLA;”/>

É importante verificar se esta pasta (C:\DotNetNuke) e assegurar que existe realmente permissao para um escrita e acesso anonimo a aplicação. O Windows Vista neste sentido é de longe muito melhor que o XP, pois possui configurações avançadas para setar permissões:

6

Depois de configuradas as permissões para que a aplicação seja instalada basta abrir o browse e digitar :

http://localhost/DotNetNuke

Uma serie de Screenshots virão a seguir:

dotnetnuke-installation-wizard-welcome_1234448033160

dotnetnuke-installation-wizard-database-configuration_12344480937351

dotnetnuke-installation-wizard-database-installation_12344481552261

dotnetnuke-installation-wizard-database-installation_1234448178159

dotnetnuke-installation-wizard-host-user_1234448314529

dotnetnuke-installation-wizard-install-modules_1234448386973

dotnetnuke-installation-wizard-install-portal_1234448946054

dotnetnuke-installation-wizard-_1234449088104

governo-provincial-do-moxico-home_1234449140334

Instalação concluida. Logue-se e comece a configurar em:

http://localhost/DotNetNuke

9 Antivirus grátis para mãos de vaca

Essa vossa mania de nao pagar por software pode um dia custar-vos caro. Depois sao os choros nos foruns a pedir ajuda com aquele virus chato que fez das mil e uma no seu PC. Acredite meu amigo, AV pago é muito melhor que um gratuito.

É pensando em pessoas como você (e eu) que esta lista de 9 Antivirus grátis para download foi criada. E não é que eu uso um daquela lista?

Use o Msconfig para arrancar o sistema com mais rapidez no Windows Vista

Existem certamente varias formas de se conseguir isso. Uma delas é limitar o uso de serviços que arrancam junto com o sistema. Programas simples como messengers, downloaders e outros acabam por criar um arranque de sistema mais lento do que seria habitual. Nao tem sido anormal encontrar poi aí verdadeiras maquinas de hardware que demoram uma eternidade a arrancar e muitas delas com memorias RAM superiores a mais de 1 GB.

Para tal basta ir em Iniciar – > Na caixa de pesquisa digite msconfig

Aparecerá a seguinte tela:

msconfig

Escolha a aba Inicialização do Sistema e a aba Serviços, como exemplificado acima e desmarque os serviços desnecessarios. Para inicia-los se necessitar, apenas de forma manual,por isso é necessario ter um bocado de cuidado com esta operação, nao que seja algo alarmante porque se notar algo de anormal no sistema basta voltar e marcar o que foi desmarcado.

OBS: Também é possivel iniciar o msconfig digitando msconfig na linha de comandos.

Combata ataques DoS usando o modulo restrições por IP do IIS7

20-02-2009-iis-7

Um dos maiores pesadelos dos administradores de redes sao os ataques de negação de serviço DoS (Denial of Service) onde um atacante se aproveita de debilidades ou do modelo para comunicação OSI e seus protocolos ou de falhas de sistemas de informação, com o intuito de paralisar redes de dados.

Pois bem, a Microsoft, e eu lembro bem teve ja durante alguns anos os seus sistemas como dos mais vulneraveis a ataques DoS, até falhas causadas por simples emissão de pacotes ICMP já chegaram a criar problemas graves a diversas redes. Hoje a situação é bem diferente, continuamos claro com o mesmo modelo OSI que nao oferece todas as garantias de confiabilidade em se tratando de protecção contra ataques de negação de serviço, mas por outro lado algumas ferramentas têm sido criadas para ajudar os administradores de redes a protegerem as suas redes de ataques deste genero.

O modulo ‘Dynamic IP Restrictions’ para IIS 7.0 é um desses casos. Ele oferece a possibilidade de se:
– Bloquear requisições excessivamente concorrentes que podem aumentar substancialmente o tráfego da rede.
– Bloquear requisições baseadas num certo periodo temporal.
– Especificar que tipo de resposta dar a requisições, que sao negadas (respostas 403, 404, até customizadas).
– Gravar em arquivo log requisições negadas.
– Ver lista de IPs bloqueados.
– Suporte a IPV6.

Tutorial

Cloud Computing. Uma solução para Angola?

Ninguem tem duvida que foram realizados esforços titanicos no que concerne as infraestruturas de telecomunicações em Angola. Desde 2002 que tenho tido conhecimento pela comunicação social de diversos projectos de expansão da rede, seja por meio do sistema de telefonia basico e ADSL, seja por meio da criação de centros de Internet (como o localizado na av lenin) seja por meio do provimento de receptores VSat em localidades distantes de Luanda.

A rede de fibra otica tem estado a ser expandida para fora de Luanda, o que permitirá um melhor aproveitamento do SAT-3/WASC, para todo país, o projecto Infrasat permitirá acesso a Internet em areas de dificil acesso e permitirá a criação de redes convergentes (embora sem a garantia total de QoS) em zonas onde eram antes impensaveis.

Diz-se por aí que a unica “maka” com o SAT-3 é justamente o seu elevado preço que para muitos operadores e provedores é decididamente dispendioso, preferindo alguns dele elaborar planos de criação de infraestruturas proprias o que nao deixa de ser oneroso. É neste caso que insatisfeita com o SAT-3 a Africa do Sul anunciou o ano passado que vai criar o seu proprio sistema de transmissão de dados Intercontinental.

Em Angola para já nao podemos ainda sequer pensar no Cloud Computing basicamente por depender de WANs para funcionar. As razões são as já conhecidas: Problemas de infraestrutura de comunicações em Angola e carencia de quadros habilitados. Está mais do que claro que existindo dificuldades com a transmissão de dados, mesmo em muitas redes metropolitanas (MANs) então não vale a pena pensarmos que resultaria certo o modelo de Cloud Computing. Imaginemos uma empresa que tem o seu serviço de ERP/CRM via HTTP (Cloud Computing/Protocolo HTTP) e que venha a debater-se com problemas de acesso a Internet (baixa largura de banda, quedas de tráfego, etc) então logo nao resultaria, se termos em conta que é isso que sucede na maior parte das nossas empresas e instituições.

As vantagens da Cloud Computing sao claras: Uma infraestrutura de dados riquissima e madura, mas acessivel apenas por meio de Internet. Nao havendo tal, é um processo falho.

Referencias:

The Case for “Open Access” Communications Infrastructure in Africa: The SAT-3/WASC cable. Angola case study – (Russell Southwood).
Cloud computing: entenda este novo modelo de computacao.