Factos das T.I em Angola 2007. Parte II

angomercado1.jpg

Angomercado.com. Disparidade entre o marketing e a realidade

Nao deve ter havido um ‘portal’ angolano que em 2007 tenha tido tanto marketing quanto angomercado.com. Passou na televisao, na Internet, na radio, dava a entender que era um bicho papao que estava a vir dai. O facto de ter nascido de Angolanos na Holanda dava a entender que seria um projecto bem elaborado, inclusive tinha até data de inauguração, prometendo um volume de negocios otimista até ao final de 2007 avaliado em 100 mil dolares.

Esperamos entao ansiosos esse dia. O facto é que nao abri nesse dia a Internet, abri uns dias depois porque pensava ja ser um facto consumado o seu sucesso.

Mas afinal estavamos enganados. Foi decepcionante percebermos que nao tinha tudo passado de marketing, nada mais do que isso. O ‘portal’ era uma pagina estatica, com alguns links html de categorias. O numero de Itens por categoria pareciam ter sido inseridos estaticamente, ja que abertos as categorias, o numero de Itens nao batia.

Ainda acreditamos que tinha sido engano e atraso no ‘projecto’, mas passados alguns meses nada mudava e continuava tudo na mesma.
Hoje por hoje o Google.com resolveu dar a machadada final no ‘portal’ colocando-o na sua lista negra como um site improprio para a visita dos angolanos e nao só.

Aí está um exemplo de que é necessario as vezes estudarmos mais um pouco lermos mais alguns livros antes de assumirmos responsabilidades que exigem muito de nós mesmos.

8 razões para migrar de asp para asp.net

    Não tem sido fácil o trabalho de migração de aplicativos de asp, para asp.net, e digo isso porque eu ‘sinto-o’.  Ainda não são muitas (são alguns milhares) as aplicações principalmente apps independentes criadas segundo as necessidades de cada cliente. Com asp era apenas ler durante 2 dias escrever no 2º dia, pegar um componentes se necessário, testar a base de dados, e coloca-lo a correr.
Com asp.net é um “bocadinho” diferente, ‘monsieur and madame’ porque dentro de uma pagina asp.net existe código em hipertexto e em alto nível, o que significa que você vai ter de dominar vb.net ou C# (eu uso  C#).

E dia surge outro problema: VB.Net não é VB 6.0, ou seja são  coisas totalmente diferentes, VB.Net não é aquela confusão de linguagem  imatura de criança como era VB 6.0 (eu nunca gostei de VB), o que  permitia com razão aos programadores de Java se gabarem da sua  linguagem, ela virou uma linguagem com todos os recursos de OOP, uma  maravilha embora eu mesmo prefira a <<versatilidade>> de C#, que me dá  uma sintaxe muito próxima a Java e C++, mas com alguns pequenitos  recursos a mais como é o caso das ‘Jagged arrays’.

Tenho usado  propositadamente asp.net e C# na criação e aprimoramento do meu CMS oardina  que já vai rodando em alguns sites (matéria para edições a frente), e sinceramente tenho me surpreendido com a rapidez de  desenvolvimento adoptado, por isso aqui vão alguns motivos para migrar  de asp simples para asp.net:

(1) Separação do código hipertexto do de alto nível.

(2) Quase dispensa o uso de componentes de terceiros(ex: upload, smtp, pop3).

(3) Suporta por defeitos diversas funcionalidades necessárias ao  programador(grelha de dados, repetidor, lista de dados, etc).

(4) Suporte a todos os recursos de OOP, sem excessão.

(5) Segurança por defeito (suporte ‘like’ a encriptação e HASH  com SALT, prevenção de inserção de
código malicioso através de requisições, etc)

(6) Fácil criação e consumo Web Services

(7) Suporte nativo a XML

(8) Suporte nativo a todos motores de base de dados

Existem claro, muitas outras funcionalidades e propriedades que  fazem de asp.net ‘ouro sobre azul’, evidente que para isso é necessário dar um pouco no duro, mas vale a pena o esforço, tente e não se  arrependerá.

Carencias nos RH. Calcanhar de aquiles nas TIC’s em Angola

    A rádio nacional de Angola  realizou uma reportagem por volta do dia 21/12/2005 sobre a problematica das constantes ‘quebras de sistema’  envolvendo a banca publica Angolana. Relata-se que houve problemas gravosos no Banco de Poupança e Crédito  que possui milhares de clientes principalmente da função pública.

Alguns entrevistados manifestaram a sua insatisfação pelo facto de serem marcados alguns ‘timings’ em que supostamente os problemas tecnicos seriam resolvidos, facto que nao se sucedeu. Entrevistado pela RNA Manuel de Alcantara Monteiro um dos administradores do referido banco frisou que a situação estaria brevemente resolvida, com a aquisição no exterior de um servidor ‘X Series‘ que estaria já em processo de desanfaldegamento, adiantando porém que já havia sido encomendado directamente da fábrica dai o facto de apenas agora ter chegado.

Chamado a se pronunciar sobre o assunto Joao Beirão director do INACOM(Instituto Angolano das comunicações) frisou que problemas de falhas nas tecnologias de informação e comunicação são conjunturais, mas deve-se mais a carencia de quadros competentes nas areas técnicas.

Ressaltou parafraseando a necessidade de se apostar mais em cursos técnicos no nosso país, dizendo que a prática corrente de se apostar em ‘cursos de letras’ (advogacia, filosofia etc) nao trará mais valias, dizendo ainda que as universidades privadas fogem ao leccionamento desses cursos técnicos porque exigem muitos recursos financeiros, adiantando porém que a nivel das provincias nao existe qualquer universidade a formar nestes ramos, e a universidade publica ainda não atingiu o patamar quantidade/qualidade o que cria segundo ele dificuldades as operadoras de telecomunicações na manutenção dos seus equipamentos, voltando a dizer que o país não pode crescer assimetricamente.

No entanto reconhecendo as dificuldades, frisou que erros técnicos acontecem sempre e que os facotores técnicos sao também uma componente essencial, fazendo ‘mea culpa’ e dizendo em que ‘eu erro todos os dias’.

Google Maps ou Virtual Earth?

A moda de vasculhar imagens via imagens de satelite e mapas parece estar a pegar. Depois do Google  ter mostrado mais uma vez que não é a toa que colocou um laboratorio em Bengalore(India) e lançar o Google Maps, a Microsoft  mostrando
que não perdeu o espirito de concorrencia lançou o Virtual Earth. O da google parece estar mais completo. Procure por Angola e Luanda e terá bons resultados. Pelo Virtual Earth só mesmo cidades importantes. Procure por Alabama.
Cheque os dois a seguir:

http://maps.google.com
http://virtualearth.msn.com/

Ela é fera

Quando eu vi esse site pensei estar a frente dum especialista em designer Web profissional, e realmente estava mais é duma mulher e tem apenas 21 anos. Recomendo tem themes, Walpapers e muitas coisas interessantes para quem quer uma pagina bonita. E mais o grupo dela no Yahoo Groups tem membros de fazer invejar muito macho. Confira: http://www.vickys.cjb.net/

O kota Bueno gosta do que faz.

Há muito tempo que não se faziam sites como este. Prato cheio para quem gosta de computação falada e historias de ficção. São anos e anos de materias publicadas em diversas revistas do Brasil.

Talvez um dos maiores articulistas daquele país. Hospedado pela Hostnet meu provedor de eleição, pegue:
http://www.bpiropo.com.br