Bill Gates é contra o software livre

Ele é uma das pessoas para quem simples frases podem ter um efeito multiplicado, simplesmente devido ao seu status. Neste caso, quando o fundador da Microsoft resolve explicar publicamente porque ele decididamente se opõe aos softwares livres e a licença GPL, mesmo dentro de um discurso que não tem nada a ver, a novidade de qualquer modo faz um grande barulho.

E foi durante um discurso diante de profissionais da indústria farmacêutica, em Seattle nos EUA, que Bill Gates explicou a sua oposição ao software livre.

“Existe esta coisa chamada GPL, com a qual não estamos de acordo”, explicou o santo patrono da Microsoft. Segundo ele, esta licença é feita “de tal maneira que uma pessoa realmente não pode melhorar um software”. Ele também explicou que o modelo econômico utilizado com a licença GPL, geralmente a gratuidade total, não é viável e realmente não permite a construção de projetos sérios.

Este discurso não chega a ser uma surpresa dentro da boca de Bill Gates e até mesmo pela sua posição de fundador da Microsoft. De fato, a Microsoft tem multiplicado suas parcerias e promovido outras ações a favor do software livre, principalmente com Linux. Além disso, Bill Gates, que deverá deixar suas funções neste verão (hemisfério norte), não é conhecido por sua virulência em relação a concorrência, pois normalmente quem desempenha este papel é Steve Ballmer, o CEO da Microsoft.

Fonte: Forumpcs

Novell compromete-se com software livre

Quem diria que uma empresa que estava quase na falencia alguns anos atrás tenha conseguido erguer-se apostando em software livre? Mas nao é apenas isso é que segundo dados a Novell só perde para a RedHat tratando-se de contribuir codigo e recursos para o software livre.

E a IBM?

Ministra sul africana ataca patentes. Microsoft reage

A Microsoft com a presença forte que tem na Africa do Sul, nao deve ter gostado nada das palavras da ministra sul africana da administração e serviços publicos que disse numa conferencia sobre software livre em Dakar Senegal que as patentes de software representam um perigo a afirmação do sector Africano de Software. A Microsoft reagiu e afirmou que ninguem desenvolve software por caridade.

A minha humilde opiniao? Seria complicado concordar ou discordar, mas repare que não é por se ter padrões abertos que teremos garantia de sucesso no desenvolvimento de software mas muito menos as teremos com padrões fechados que sabemos aos poucos vao desaparecendo do cenario (os AppleTalk, IPx etc).

Penso que uma convergencia entre o aberto e os fechados poderia continuar a ser benefica. Nao precisamos de apelar a uma demagogia nem radicalismos exagerados. Todo mundo quer criar algo seu e não é obrigado a mostrar se nao quiser.

Os Homens-Bomba do Software Livre

Na minha concepção, assim como existem ferrenhos defensores do Mac e do Windows, existe também o defensores do software-livre. O problema é quando você decide se explodir no meio de uma praça pública matando pessoas junto. Essa Open-Jihad ocorre quando não apenas preferimos ou nos negamos a usar o software proprietário, mas quando perdemos a tolerância e não respeitamos a opinião ou necessidade dos outros e impomos o software livre a força.

Mais

Sobre a aceitação do Software Livre no mercado

 

Quais as condições necessárias para que a aceitação do Software Livre melhore? Essa é a principal questão por trás deste artigo, que não visa propor soluções, mas sim propor questionamentos que nos levem a uma redefinição de procedimentos.

Link

KDE agora para Windows e para Macintosh

O KDE (meu gerenciador preferido) parece nao querer se resumir somente ao mundo Linux. Os tipos de lá anunciaram suporte para Windows  e Macintosh, além de alguns softwares como Amarok e Koffice poderem ter brevemente portagem para alem do Linux.

FOSS – Oportunidades para a Sociedade Civil.

Por Dimonekene Ditutala.
Assisti a esta palestra alguns anos atrás. Ainda está muito actual.

Primeiras visoes do KDE 4.0.0.

9f8c.jpg

Fiquem atentos que deve sair a versao 4.0.0 do KDE o meu preferido gerenciador grafico. Este artigo tem alguma luz sobre as novidades, e estes screenshots nem se fala.

Ainda tem louco pra Slack.

34c7.jpg Lembro que a primeira vez que tentei usar usar uma Linux distro (em 2002) me aventurei no Slackware. Foi uma aventura decepcionante para uma pessoa como eu que apenas contava com uma conexao de 56 kbps. Ainda tentei usar o ZipSlack, mas aquilo nao servia para nada, e olha que era um tempo em que apenas se ouvia falar no duopolio Slackware/Debian, onde o Debian levava vantagem porque era mesmo mais simples e completo que o Slackware.

Talvez por isso hoje o Slackware que poderia ter oportunidade hoje de ser uma das distribuiçoes lider no mercado perdeu foco (Prova disso é o Piter Punk que parou no tempo, o Patrick Volkerding, ninguem mais ouve falar dele, etc…). Hoje ela serve apenas como distro base para algumas subdistros (Ainda acredito que era mesmo isso que o Patrick queria, ja que o Slack sempre teve fama de distro de Geek).
Quanto ao Debian ele continua a manter a sua posição de destaque em servidores estaveis de grandes corporações, enquanto distros como Ubuntu, Suse e Fedora abocanham segmentos em desktop e de grandes, medias e pequenas empresas.

Mas quem disse que o Slack foi esquecido? Ele continua mais vivo do que nunca. Estes dois artigos mostram passo a passo como instalar essa distribuiçao, mostrando que o seu desenvolvimento continua de pé.

http://oskarcosta.blogspot.com/2007/12/equipamento-o-notebook-acer-aspire.html
http://slackbookptbr.sourceforge.net/

Lembrando ainda que o AngolanOs tem como base de desenvolvimento o Slackware.

Modelo de Levantamento para Avaliação de Preparo para Negócios (Business Readiness Rating).

Modelo de Levantamento para Avaliação de Preparo para Negócios (Business Readiness Rating)

Uma Proposta de Padrões Abertos para Facilitar a Avaliação e Adoção de Soluções de Software Livre

por eng Antonio Sabino

Aqui