O que vem a ser este Photosynth?

Boa pergunta. Porque todo mundo fala dele, tem algo de especial? Meus caros, tem sim senhor. Eu nunca fui amigo das ferramentas graficas, embora até tenha sido sempre bom aluno a desenho e tive mesmo durante a minha vida alguma queda para esta area, mas ao me aperceber das potencialidades do Photosynth cheguei a conclusao de que estava diante de algo inovador. Trata-se dum programa que faz o que poucos fazem: Reconhecimento de imagens (possivel por meio de analise de padrões de cores e sombras)  em 2D e modelação automatica em 3D, algo que nao faz mais de um mês eu achei que era uma das maiores mentiras do mundo.

Vou explicar porque pensei assim: Acontece que estava assistindo a uma das series de CSI (nao me lembro se New York ou Miami, e lá simplesmente foi usado o Photosynth. Um dos investigadores nao conseguiu ter acesso as filmagens das cameras e o especialista em Informatica do laboratorio criminalistico teve uma ideia. Pegar todas as fotos em 2D (que sao maioria nos nossos lares) dos celulares presentes na festa e “sintetizar” com uma programa como o Photosynth, simples como tudo, e resultou em cenarios/imagens 3D. (assista aqui ao video)

Quando eu vi aquilo imaginei que era mais um dos truques do laboratorio do gary sinise (agora lembro-me era mesmo o CSI/New York) mas agora a pouco tempo tive oportunidade de testar aqui o Phtosynth pelo Firefox e nao é que é mesmo verdade? Parabéns a Microsoft Research por ter nos colocado vida nos olhos com esta novidade, isto é que é Web 2.0, nao é criando besteiras como “wikias e livelys” (deve ser assim que se escreve) que se fazem inovações, ISTO é inovação.

Experimente você mesmo

Microsoft lança projecto Singularity OS.

Singularity OS é um sistema operacional criado nos laboratorios de pesquisa da Microsoft. Nao tem fins comerciais mas sim de estudo e investigação na area de sistemas operacionais e ‘managed code’. Ele usa a análise estática para assegurar alta confiança. O Singularity usa o compilador Bartok da Microsoft, que traduz a Common Intermediate Language (CIL) do .Net para código nativo otimizado.

Embora o Singularity incorpore alguns conceitos teóricos muito intrigantes, o próprio sistema operacional é desenvolvido exclusivamente para objetivos de pesquisa e não destinado para o uso prático. Alguns princípios subjacentes podem inspirar um dia futuras decisões de desenho do Windows, mas não num futuro proximo.

O Singularity só pode ser usado para o uso acadêmico não-comercial, e a licença do Singularity RDK explicitamente estipula que não se pode usar os compiladores incluídos para desenvolver o software de produção. O projeto Singularity abre portas as mais largas implicações de usar ‘managed code’ (algo até agora pouco usual) para desenvolver componentes de sistema operacional. Embora provavelmente não tenhamos tao brevemente o Singularity a correr em desktops, os conceitos têm muito mérito teórico e interessarão provavelmente muitos na comunidade acadêmica.

Fonte: Arstechnica, PCWorld