As liçoes do professores do IST (II)

Este artigo é uma continuação do primeiro.

O segundo professor a deslocar-se a Angola foi o professor Dr Luís Manuel Correia igualmente do IST e do IT/Portugal. O professor Luís Manuel Correia é um dos maiores estudiosos Portugueses no ramo das comunicações moveis, cadeira que lecciona desde o inicio dos anos 90, tendo publicado já 3 livros em relação a comunicações moveis, um deles envolvendo 4G, além de dezenas de artigos científicos e de ter liderado implementações COST/Telecom (European Cooperation in Science and Technology) que para quem não sabe, cria padrões, regulamentos, recomendações técnicas e documentação a serem usadas na Europa. Lidera ainda o grupo de pesquisas em comunicações sem fio do IT/IST.

A disciplina de Sistemas de Telecom II é uma daquelas cadeiras que se apresentam como difíceis, por abordarem assuntos variados. O programa leccionado foi:

Distribuições Estatísticas em Telecomunicações
Modelos de Propagação
Antenas para Bases e Móveis
Caracterização do Canal Rádio
Redes Celulares
Interface Rádio
Sistemas de Rádio Móvel Privado
Mobilidade e Tráfego
Dimensionamento Celular
Outros Sistemas

Ressalte-se a frontalidade com que o mesmo aborda os assuntos. Usando piadas quando necessário, mas na hora do trabalho, gosta mesmo que os alunos trabalhem, além da pontualidade com que se faz presente as aulas. Aulas estas que depois eram em regime bi-diario, portanto um verdadeiro massacre.

Já no fim do seu programa concedeu uma palestra bastante concorrida no auditório da UCAN, abordando novas tecnologias. Quem assistiu a esta palestra saiu dali satisfeitissimo, podia-se mesmo notar isso no semblante da plateia que ficou maravilhada com a sua desenvoltura ao palestrar e o seu a vontade no tratamento de assuntos técnicos.

Dele ficou o aprendizado em relação a seriedade com que se deve abordar os desafios em engenharia. Um professor quando é pontual passa um grande exemplo aos alunos. Pode parecer brincadeira, mas é verdade.

Anúncios

As liçoes do professores do IST (I)

Como sabem, fruto dum acordo já aqui anunciado professores do IST deslocaram-se a Angola para ministrarem cadeiras no curso de engenharia de Telecom da UCAN. Fruto desse acordo o primeiro professor a deslocar-se a Angola foi o professor Dr Joao Pires do IST de Portugal.

Durante o tempo que aqui esteve leccionou na cadeira de Sistemas de Telecom III tendo como fundamento as comunicações ópticas:

Familiarização com os conceitos básicos da Comunicação Óptica.
Proporcionar os conhecimentos e metodologias  apropriados para conceber e dimensionar diferentes tipos de sistemas  de comunicação óptica.

Programa

1.  Introdução à comunicação óptica
2.  Fibras ópticas e componentes passivos
3.  Componentes optoelectronicos
4.  Aspectos de engenharia de transmissão óptica
5.  Redes de acesso com fibra óptica
6.  Redes ópticas

Foram semanas de aprendizado em modo intensivo (5/4 h por dia). Como devem ter imaginado o stress não foi pouco daí também a minha ausência no blog.

Sem querer fazer juízos de valor, mas a qualidade de ensino é de longe superior a que muitas das vezes se pratica por cá (sem querer desprezar ninguem), onde o docente ja entra a pensar em quantos vão ficar e quantos vão avançar, esquecendo que o mais importante é a transmissao de conhecimentos de forma adequada e compreensível.

Uma das coisas que aprendi é a coerência nos resultados e o professor João Pires fez questão sempre de dizer isso. Um técnico tem que ser critico em relação a um resultado como por exemplo considerar válido o absurdo de 20 db/km como um  coeficiente de atenuação valido.

Não podia deixar de mencionar a pontualidade demonstrada e a necessidade de se desculpar por algum inconveniente qualquer. Podemos ser bons técnicos, mas se não possuirmos qualidades humanas seremos desprezáveis em termos de utilidade.

Unitel e Ericsson promovem formação

A Unitel e a Ericsson Angola assinaram um protocolo com o Instituto Superior Técnico de Lisboa e a Universidade Católica de Angola, para patrocinar, promover e estabelecer bases de cooperação académica, científica e tecnológica na área da Engenharia de Telecomunicações.

Com esta iniciativa, as quatro entidades envolvidas esperam “colmatar a falta de profissionais de engenharia na área de Telecomunicações, com qualificação superior e de origem angolana, bem como atrair o interesse de cada vez mais estudantes para esta área em Angola”, avançam em comunicado.

A cooperação entre o IST e a UCAN vai concretizar-se através do intercâmbio de experiências e know-how, da prestação de assistência técnica relacionada com a elaboração e implementação de estratégias de desenvolvimento académico, científico e tecnológico, e da realização de programas de desenvolvimento de áreas de Engenharia de Telecomunicações, que sejam relevantes para a UCAN e para Angola.

fonte: http://www.channel-partner.pt/article.php?a=10164