Dos exageros do dr Richard Stallman a liberdade de Kim ‘KIMBLE’ schmitz

1 –

Richard Stallman, não tenho duvidas, é hoje uma figura menos influente do que era 5 anos antes ou então eu ando mesmo desligado de tudo. Formado em física pela universidade de Harvard e depois pelo MIT onde foi colaborador no departamento de Inteligência Artificial, RMS como é vulgarmente conhecido sempre foi polémico em quase tudo até ao ponto de rejeitar emprego nas maiores empresas de computação do mundo para se dedicar exclusivamente ao sonho ‘contra natura’ do software livre, com seu modelo de licenciamento GPL que permite a partilha de código fonte por quem quiser.

Isso parece tão contrastante numa sociedade ‘cruel’ e capitalista como a sociedade Americana onde vingam apenas as mentes mais brilhantes ou oportunistas. RMS está no primeiro grupo.
Ele queria criar um sistema operativo livre conhecido como GNU (GNU is Not Unix) cujo seu kernel conhecido como ‘Hurd‘, quase 30 anos depois não saiu praticamente da prateleira (anda em desenvolvimento até hoje).
Na verdade RMS não seria tão influente se o génio Finlandês da computação Linus Torvalds não tivesse criado no inicio dos anos 90 o Linux um sistema baseado no Unix mas que se diferencia por poder rodar em maquina não mainframe.

RMS não entendeu isso. Resultado: Linus Torvalds hoje trabalha na Linux Foundation, tornou-se milionário e é reconhecido como moderado. RMS é encarado como um chato politiqueiro de plantão sem ideias técnicas inovadoras.
Não que ser rico transforme Linus em feliz e RMS em infeliz. A verdade é que a fronteira já foi traçada, chega de tentar impor por meio de projectos-de-lei e associações. Deixem o mercado assumir o que é melhor, software livre ou proprietário.

RMS esteve esta semana em Portugal e destilou para fora tudo o que ele pensa. Para vocês não acharem que eu exagero basta lerem a ultima entrevista dele, onde já não aceita o contraditório e nem admite algo contrario.

Eu sou a favor do software livre e open source (sem ele eu não saberia o pouco que sei) e não é de hoje, posso dizer que fui até dos primeiros em Luanda a criar tutoriais sobre softwares livres. Comecei a estudar ‘agressivamente’ comandos do Unix em 2001 e fiz a primeira certificação em Linux em 2003. Sou da época do Debian woody, Slackware e Conectiva Linux.

Mas não podia cair no ‘truque’ de Stallman em achar que todo código tem de ser aberto e sob o licenciamento GPL, não teria sentido, a propriedade intelectual e a concorrência cairiam em descrédito.
Não defendo aqui praticas agressivas das grandes companhias como Oracle e Microsoft. Mas ele melhor do que eu sabe que a Índia exporta mais de 1.000.000.000 USD em software por ano e isso já mete pão na casa de muita gente.

2 –

Por falar em pão, alguém andava a contribuir para tira-lo da casa de muito boa gente a favor de sua boa vida num bairro luxuoso qualquer de Auckland na Nova Zelândia. Refiro-me a nada mais nada menos que Kim ‘KIMBLE’ schmitz.

kim 'kimble' schmitz

Sinceramente, quem conhece o senhor Kim é que não se surpreendeu nada ao saber que afinal ele era a ‘mente brilhante’ por detrás do Megaupload, aquele site fantástico onde você podia baixar os filmes do James Bond como se eles tivessem sido produzidos a custo zero.

A primeira vez que ouvi falar do Kim foi em 2001 após os ataques de 11 de Setembro as torres WTC. O mundo esperançoso de heróis ouviu falar dum tal Alemão Kim ‘KIMBLE’ schmitz que havia acabado de criar um grupo de hackers designado por YIHAT (Young Intelligent Hackers Against Terrorism). Este grupo, dizia Kim, conseguiu aceder a um conjunto de contas supostamente ligadas a Bin Laden num banco do Sudão e as enviou para um departamento qualquer da luta anti-terrorismo nos EUA. Que isso fosse verdade só o senhor Kim pode explicar.

Mas mesmo já naquele tempo o senhor Kim não enganou os mais atentos e aqueles que já o conheciam, aliás estas pessoas sempre duvidaram da sua capacidade técnica como suposto hacker renomado (nunca ninguém viu grande novidade no que ele fazia e dizia) e viram no tal YIHAT mais uma oportunidade dele para ‘aparecer’ na midia como bem gostava.

O que se sabe é que antes de 2001 Kim estava preso na Alemanha por uma qualquer fraude financeira ou informática. Saiu da prisão, criou uma empresa de segurança foi bem sucedido em vende-la, tornou-se milionário e começou a pensar em multiplicar o seu dinheiro, nunca abdicando dos seus direitos de ‘aparecedor’ fosse nos jornais do ocidente, fosse na Tailândia onde tirava fotos pomposas em Kuala Lumpur a frente dos Petronas Towers em Mercedes topos de gamas e exibindo sempre o seu fato e o seu charuto ao lado de bonitas jovens.

Depois disso desapareceu. Sempre procurei por ele, mais de 5 anos a tentar saber onde ele andava. Nem precisei procurar mais. Foi apanhado na Nova Zelândia a dirigir um monstruoso serviço de partilha de ficheiros o famoso MegaUpload. Os prejuízos para as produtoras são enormíssimos: Milhões de dólares perdidos a troco da boa vida do senhor KIMBLE e sua trupe, que afinal, dizem, la na Nova Zelândia, não perdeu o jeito, também gostava de se exibir e dizer de boca cheia que era um dos 5 mais ricos do país. Foi apanhado com as calças na mão numa luxuosa mansão rodeado de dinheiro, espingardas e carros luxuosos de milionários custos. La dentro da mansão: Uma infra-estrutura de rede e hardware de fazer inveja a muitas empresas, tudo a dar suporte ao Megaupload.

Admirou-me sim, foi ver boa gente a defende-lo em nome da liberdade. Até o meu amigo COG caiu nessa (ele foi enganado, confesso hehe). Qual liberdade, qual que? A liberdade do Kim e do Megaupload deve acabar onde inicia a dos dinheiros perdidos do pessoal de Hollywood e etc. O senhor Kim sabia bem o que estava sendo partilhado lá, negar isso é brincar com coisa seria. O pessoal quando quer um filme ou o ultimo álbum da Madonna vai ao Megaupload. Quando quer partilhar o trabalho da escola envia um email aos colegas, so isso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s