(Corrigido)Multiplexagem com taxas diferentes

Essa foi uma pergunta que me foi feita ontem.  Geralmente estamos acostumados a realizar multiplexagem com taxas iguais nas fontes. Por exemplo num sistema PDH a E1 são 64kbps por canal (fonte) e como são 32 canais, logo sao 2048 kbps.

A questão que me foi colocada era a seguinte: Supondo, um sistema com 4 canais de (100, 200, 300 e 400)kbps. Como realizar multiplexagem com taxas diferentes?

Para responder a esta pergunta era preciso voltar ao primeiro caso, ou seja: Será verdade que são mesmo transmitidos 2048 kbps no MUX? É uma resposta que necessita de ser analisada com medições de debito binário, mas ainda assim podemos concluir que seria muito difícil termos exactamente estes 2048 kbps na saída do MUX. E por uma questão muito simples. Pelo simples facto dos canais não transferirem taxativamente os tais 64 kbps. E porque não transmitem taxativamente estes 64 kbps? Podem ser por problemas vários, por exemplo atenuação ou dispersão nos meios de transmissão guiados.
Mas mesmo assim a multiplexacao é mesmo realizada, ok? Mesmo com taxas diferentes ainda que a sua variação seja desprezável. Ok, mas não é o caso acima. Vamos supor que temos mesmo (100, 200, 300 e 400)kbps. Como faze-lo?

A resposta até já foi dada: Com TDM (Time Division Multiplexing) ou multiplexacao por divisão no tempo. A figura seguinte ilustra bem esse aspecto:

Repare que temos 3 canais com taxas diferentes. A cada canal foi atribuído uma fatia de tempo (time slot) na transmissão de modo que todos os dados dos 3 canais pudessem ser transmitidos. Como existe relógio de sincronismo no PDH os dados chegarão ao destino certo.

Mas voltemos ao nosso problema. A figura abaixo mostra como ele pode ser resolvido:

Repare que diferentes taxas são multiplexadas. Como 1.000 kbps a soma das 4 taxas significaria um time slot muito elevado o MUX trata de aplicar TDM a estas taxas atribuindo a mais reduzida relação de time slots entre os 4 canais, a saber o quociente entre as taxas dos 4 canais pela taxa do menor canal, a saber 100 kbps, o que dará a fatia de tempo (time slot) a ser atribuída a cada canal no meio de transmissão. A soma destas fatias de tempo dará agora apenas 10 time slots e como já dissemos existe sincronismo por isso os dados não se perdem e se perdem são retransmitidos por isso chegam ao destino como se pode perceber no DEMUX da figura acima.

fonte: Theory of Time Division Multiplexing ( Harold P.E. Stern and Samy A. Mahmoud , National Instruments Developer Zone)

Theory of Time Division Multiplexing

3 pensamentos sobre “(Corrigido)Multiplexagem com taxas diferentes

  1. Muito bom o artigo, lembrei-me dos conceitos da faculdade. Só tenho uma dúvida:

    – Ali no primeiro paragrafo: “Por exemplo num sistema SDH a E1 são 64kbps por canal (fonte) e como são 32 canais, logo sao 2048 kbps.”, não seria em um sistema PDH?

    O Sonet começa em 55Mbps e o SDH em 155Mbps, embora faça uso dos 64kpbs com PCM do mesmo jeito, mas a taxa de transferência é maior que os 2048. Ou não?

    Recorda-me lá isso…

    Abraços

  2. gostei da explicação sobre a taxa de transferencia entre os canais, será que voces tem um esquema com circuitos eletronicos para mim montar um simulador em casa para estudos?
    Vou montar com pelo menos 4 canais na entrada para simulações simples na escola.
    Se caso tiver um circuito facil para me ajudar ficarei muito grato…

    Obrigado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s