Como ser o vale do Silicio? Paul Graham, sabe

Paul Graham é considerado por muitos como um dos melhores programadores do mundo. Versado em LISP (no makarenko tentei usar CAD com LISP e desenconrajei-me logo) que usou para criar o sistema que foi usado pelo antigo Yahoo Store. Foi também pioneiro na luta contra o SPAM ao sugerir o uso de filtros ‘bayesianos’, além de escrever varios livros sobre computação e criar uma nova linguagem de programação.

Com tantas ideias, Paul as vezes escreve também sobre alguns assuntos interessantes. Um deles é a tentativa de se criarem fábricas de software, ‘similitudes’ tipo vale do silicio (Sillicon Valley) em varias partes do mundo e todas elas falharam, e Paul Graham diz porque isso aconteceu nestes excertos:

Dois Tipos

O necessário são as pessoas certas. Se você pudesse fazer com que as dez mil pessoas certas se mudassem do Vale do Silício para Buffalo, Buffalo se tornaria o Vale do Silício.

Eu [Paul] acredito que só se precisa de dois tipos de pessoas para criar um hub tecnológico: pessoas ricas e nerds. Estes são os reagentes na reação que produz empresas startup, pois são os únicos presentes quando startups são iniciadas. Todo mundo mais vai se mudar.

Observações suportam isto: dentro dos EUA, cidades se tornaram pólos de startups  se, e somente se, elas tinham tanto pessoas ricas quanto nerds. Poucas startups  “acontecem” em Miami, por exemplo, pois embora ela esteja cheia de pessoas ricas, tem poucos nerds. Miami não é o tipo de lugar que nerds gostam.

Não Burocratas

As pessoas ricas são realmente necessárias? Não funcionaria se o governo investisse nos nerds? Não, não iria funcionar. Investidores em startups  são um tipo diferente de pessoas ricas. Eles tendem a ter muita experiência própria em negócios envolvendo tecnologia. Isto (a) ajuda-os a escolher as startups certas e (b) significa que eles podem fornecer conselhos e conexões além de dinheiro. E o fato de que eles têm algo pessoal em jogo faz com que eles realmente prestem atenção.

Não Prédios/Construções

Construir prédios de escritórios para empresas de tecnologia não vai te dar um Vale do Silício, pois o estágio chave na vida de uma startup  acontece antes que elas queiram esse tipo de espaço. O estágio chave é quando são três caras operando a partir de um apartamento. Onde quer que a startup seja quando ela receber investimento, ela vai ficar. A qualidade que define o Vale do Silício não é que a Intel, a Apple ou o Google tem escritórios lá, mas sim que elas foram criadas  lá.

Então, se você quer reproduzir o Vale do Silício, o que você tem que reproduzir são aqueles dois ou três fundadores sentados ao redor de uma mesa de cozinha decidindo começar uma empresa. E para reproduzir isso você precisa daquelas pessoas.

Universidades

O interessante é que tudo que se precisa são as pessoas. Se você pudesse atrair uma massa crítica de nerds e investidores para morar em algum lugar, você poderia reproduzir o Vale do Silício.

Então se você quiser fazer um Vale do Silício, você não precisa apenas de uma universidade, mas uma das poucas top do mundo. Ela tem que ser boa o suficiente para funcionar como um imã, atraindo as melhores pessoas de milhares de quilômetros de distância. E isto significa ter que concorrer com imãs já existentes como o MIT ou Stanford.

Personalidade

No entanto, meramente criar uma nova universidade não seria suficiente para começar um Vale do Silício. A universidade é apenas a semente. Ela tem que ser plantada no solo certo, ou ela não germinará. Plante-a no lugar errado e você acaba criando uma Carnegie-Mellon.

Para fazer brotar startups, sua universidade tem que estar numa cidade que tenha outras atrações além da universidade. Tem que ser em um lugar onde os investidores queiram viver e onde os estudantes queiram ficar depois que se graduem.

Nerds

Se você quer atrair nerds, você precisa de mais que uma cidade com personalidade. Você precisa de uma cidade com a personalidade certa. Nerds são um subconjunto distinto da classe criativa, com gostos diferentes do resto. Você pode ver isso claramente em Nova York, a qual atrai muitas pessoas criativas, mas poucos nerds.

Tempo

Isto tem duas importantes implicações. A primeira é que você precisa de tempo para “crescer” um Vale do Silício. A universidade você poderia criar em alguns poucos anos, mas a comunidade startup ao redor teria que crescer organicamente. O tempo do ciclo é limitado pelo tempo que leva para uma empresa ter sucesso, o que provavelmente leva cerca de cinco anos.

Competição

Claro, um possível Vale do Silício enfrenta um obstáculo que o original não tinha: ele tem que competir com o Vale do Silício. Isso pode ser feito? Provavelmente.

Tais forças centralizadoras tornam mais difícil começar novos Vales do Silício. Mas de maneira nenhuma impossível. No fim das contas, o poder está com os fundadores. Uma startup  com as melhores pessoas vai bater uma com fundos de VCs famosos, e uma startup que seja suficientemente de sucesso nunca precisaria se mudar. Sendo assim, uma cidade que pudesse exercer uma força suficiente sobre as pessoas certas poderia resistir e talvez até suplantar o Vale do Silício.

Você pode encontrar o artigo completo traduzido para o Portugues, aqui:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s