Programadores em Angola ou copy pasters? Eis a questão.

As vezes paro e penso. Não foi nada mau ter ido comprar uns fasciculos de linguagem C quando tinha 16 anos. Vivia-se uma época em que linguagens de programação confusas e sucateiras como VB e DELPHI eram o maior sucesso do mercado e ninguem estava disposto a optar por uma linguagem que era considerada como ‘dificil’. Para mim aconteceu exatamente o contrario. Tinha recebido um fasciculo de VB de um amigo em que nao percebi quase nada daquela confusão, daí o motivo de ter comprado um fasciculo de linguagem C em Ingles para sistemas UNIX.

Passados alguns anos olho hoje para o mercado de programação em Angola e fico decepcionado com o que está a acontecer. É que na minha opinião as coisas nao estão a avançar como eu esperava. Digo isso porque como estudante universitario esperava um certo entusiamo por parte da nossa franja neste segmento que é dos mais lucrativos do mundo. Muito ao contrario a disciplina de programação tornou-se um autentico terror (e nao é que nao seja verdade) entre a classe universitaria tanto privada como pública. Deixou de ser uma cadeira divertida e entusiasmante como deveria supor ser.

Tudo isto por culpa nao apenas dos alunos, mas duma grande deficiencia de certos transmissores de conhecimento que ainda nao se aperceberam que nao basta chegar com um livro ou fasciculo na sala de aulas, deixar uma tarefas e é aula dada. Aposta-se 95% em aulas teoricas e quase nada se prático se faz na sala de aula. É muita lata (se me permitem a expressão) e o aluno nao é colocado em contacto com o “conhecimento exacto” que lhe permite ser prágmatico no aprendizado o que em programação é extremamente importante ser prágmatico, senão perde-se tempo com questões desecessarias e despreziveis (como porquê a função scanf consegue receber multiplos argumentos (varargs)).

O que não entendo por exemplo é como é possivel que numa cadeira destas ao aluno é recomendado como avaliação um trabalho prático para alguem que nunca chegou a ter 5 aulas práticas dignas desse nome. O resultado sao trabalhos de copy paste que alguns cinicamente chamam de reaproveitamento, inputs sem validação de dados, onde o absurdo nao apenas chega a ser a troca de algumas mensagens de output para enganar os incautos, mas até mesmo uma ‘cola descarada’ onde nem o nome do autor verdadeiro chega a ser ocultado.

Por outro lado nao posso ser tão injusto com os nossos transmissores de conhecimento. Nós estudantes temos assumido comportamentos que ao minimo escambam no autentico ridiculo. Quando me preparava para a cadeira de estruturas de dados fui perguntar a uma aluna mais a frente que conselhos tinha para mim a fim de enfrentar aquela cadeira. A resposta nao se fez rogar: “Pega um projecto já feito e estuda”.
Nao precisei dizer mais nada, hoje posso dizer que em quase nenhuma universidade Angolana um aluno atreve-se a começar um trabalho prático do zero (sao poucos) usando apenas classes e métodos externos. O cumulo é tao grande que quem vai por aí pode ser mesmo penalizado, já que para alguns transmissores de conhecimento basta que o trabalho corra, nao importa o acompanhamento ou a prova dos 9 ao aluno.

Encontrar bons programadores é uma tarefa quase semelhante a procura de ouro, sao pessoas em escassez, mas tenho visto alguns em Angola que sao muito bons, mas que infelizmente depois de terem terminado a sua formação sao atirados pelo departamento de TI em areas completamente a esquerda da sua grande paixão que é a programação. De qualquer forma a maior parte dos grandes programadores ou bons programadores que conheço ou já conheciam programação ou já tinham interesse por este ramo ou no mínimo sao pessoas muito inteligentes e em programação quem nao é inteligente é melhor nem se atrever.

Links:

O bom programador
How to recognise a good programmer

Paul Graham – Um dos melhores programadores do mundo

28 pensamentos sobre “Programadores em Angola ou copy pasters? Eis a questão.

  1. Ola ! Nataniel não duvido desta sua ideia, eu não estudo em nenhuma Universidade angolana mas provo isso porque tenho amigos já no terceiro e segundo ano que têm graves problemas em programção.

    O que Angola precisa são cursos virados a programação e mais incentivo por parte dos docentes porque o lema do Angolano é “Faculdade é pra o aluno se ensinar” na realidade não é isso, eu estudo a distancia pela Universidade Catolica de Brasilia fazendo primeiro ano no curso de Segurança de TI e isso tem sido muito valioso pra mim, até porque a atenção dos professores mesmo sendo a distancia é muito boa.

    O governo precisa abrir centros profissionais nas provincias e em todos os municípios não só pra ministrar Cursos de Informática com (Windows, Word, e Excel) tem que haver mais cursos, Programaçõa e Redes são algumas áreas mais promissoras em TI e também são os cursos menos encontrados nos centros profissionais eu falo isso por experiencia pessoal, vivo na provincia do Kuanza Norte, actualmente como Administrador de Redes. estamos a tentar agora a criar uma comunidae online de programadores angolanos pra vermos se isso de Copy /Paste e Changing Templates acabe no nosso país final de contas tem muita gente inteligente.

    AQUI FICA O APELO “ANGOLA NECESSITA DE CURSOS BÁSICOS DE PROGRAMAÇÃO, REDES, em fim EM TODOS OS MUNICÍPIOS DO PAÍS”

    • Olá a todos…
      realmente quero parabenisar em primeiro lugar o autor do artigo, muito bem escrito e bem pensado. agora deixando um comentário na quilo que já se falou não tenho muito a dizer mais começaria pela realidade do vício COPY/PASTE, e CHANGING TEMPLES atualmente já não temos muitas queixas do porque que não somos bons, eu acho que nós não gostamos de ser bons ou fazer diferença este é o quadro que tem de se mudar. Atualmente com a explosão da internet não há nada que não se possa aprender ou saber, o exemplo vivo está acontecer com o nossa amigo Amadeu a estudar a distancia, é logico que as universidades também têm a sua culpa neste pecado mais nós estamos com a sorte de sermos do seculo 21, eu por exemplo estou aprendendo JAVA, HTML via internet e estou na net com mais frequência utilizando o meu simples NOKIA X2 e tenho certeza que não acaba o ano mostrarei para ANGOLA o meu primeiro desktop aplicativo.

      Agora trazendo o tópico do artigo para minha realidade, eu sou da província de benguela vivo no município do lobito e cá como não foge a regra temos UNIVERSIDADES com estudantes no ramo infelizmente o que se vê aqui é alem do fenómeno COPY/PASTE, eu não andei até aqui em nenhuma UNIVERSIDADE como já disse antes sou um estudante de programação sendo assim tentei me ajuntar aos estudantes de algumas UNIVERSIDADES com o objetivo de troca de experiência e quem sabe arrancar um projeto, simplesmente me parecia que eles são estudantes de informática mais que estão a estudar AGRICULTURA, sabem muito pouco, não que com isso eu me sinto o melhor que eles, mais sim isso demonstra o quanto nós não gostamos estudar duro ou trabalhar duro. Finalmente para terminar a minha ideia diria que esta, doença, pecado, vicio do COPY/PASTE e CHANGING TEMPLATES é possível ultrapassamos unidos isto é primeiro devíamos nos unir e mostrar o perigo da nossa desorganização no futuro (no seculo 21 na comunidade onde não há um profissional das TI é um perigo) e depois exigir um pouco mais das nossas UNIVERSIDADE(nós saímos a ganhar e o pais tambem).

  2. Olá,

    Sou um português com uma paixão pela vossa terra, e gostaria muito de eventualmente ir trabalhar aí. Tenho tido bastante dificuldade em encontrar vagas na net, pelo que fica aqui o apelo: se souberes de algo, avisa!

    Abraço,
    PP

  3. Oiiiiiiiiiiiiiiiiiii …. Gostei mto do k aki foi dito, + espero k isso ñ seja apenas um discorso bonito, k tal gnt parttir para practica ??? A gnt pode craiar a nossa propria comunidade d programadores “Angolanos” um site ou mesmo um blog para começar a começamo a expor e trocar ideias e mostar k essa pais exite programadores serios e com vontade d trabalhar …….

    Elvio Pedro
    Universiade Agostinho Neto
    Faculadade de Engenharia
    Curso de Informática
    2º Ano
    elviopedor5@hotmail.com

  4. Para mim o que falta em angola é organização, existe muita gente boa nesta area que não tem oportunidade para mostrar as suas ideias. Aqui em Angola nós não temos foruns, não temos feiras sobre programação, nas faculdades temos falta de professores que podem transmitir de modo correcto (que não é facil) mas é isso ai é so ter força de vontade que a coisa anda. Para que quiser trocar experiencias comigo o meu e-amil é este vany_vb_jd@hotmail.com

  5. Caro Nataniel, gosto de programação tambem e nao axo a Linguagem C dificil!!
    Ate pq sendo uma linguagem estruturada fica facil seguir a linha de raciocinio!!!
    O que se passa em Angola e digo pq converso com alguns amigos q estudam ai é q mts pusseram na cabeça q informatica da dinheiro e nao estavam dispostos a sacrificios!!!
    pq nos dias de hj um estudante unviversitario consegue ter acesso a web e existente mt por onde pesquisar!!
    Pois pq programar exige calma, e raciocinio!!
    um abraço

  6. Ola todos, tambem sou Estudante da UAN na Faculdade de computação

    gostaria que alguem se associasse a mim para juntos fazermos intercambio de conhecimentos no que toca a programção em VB, pois todo mundo por influÊncia esta virado em C, Java Delphi etc-
    Na minha opinião Vb é uma linguagem facil para criar interface grafica,so basta arrastar o objecto e criar um codigo para exercer logo a sua tarefa designada.

    o meu mail : vitajmiguel@hotmail.com

  7. Eu fiz a leitura do principio ao fim e percebi k temos algo em comum, não gostamos dos copy pasters e dos k simplesmente alteram templates. eu estou estudando informática no medio e tenho um prof. que vive de templates e do JOOMLA, eu ñ acho correcto alguem k se diz eng° passar a vida dependendo do esforço dos outros para depois utilizar o trabalho de para comercio. ESTUDEM MAIS.

    este é o meu email flowck96@hotmail.com, actualmente estou estudando o basico de C e PHP

  8. Oi pessoal do SNNANGOLA eu sou aluno do ITEL e finalizarei este ano, eu posso dizer que as instituições angolanas no toca a tecnologia de informação dão pouco ou mesmo nenhum interesse. Eu amo a informática gosto muito de programação, sou fluente em C, C#, JAVA, HTML, CSS, JQUERY, PASCAL, e gostaria de dizer aqueles que ainda se apegam muito ao VB que avancem suas vidas porque no mundo da programação hoje em dia o VB é uma linguagem que praticamente já não é tão forte assim, até a propria MICROSOFT criadora do VB aposta mais no C# que é a linguagem que os sistemas WINDOWS são criados. A APPLE usa o Objective C para criar os sisteamas MAC OX, caiam nós programadores angolanos estamos atrasados anos em muito tempo de aprendizado no que toca a programação.
    Mas eu faço a minha parte e sou diferente dos outros, quem quizer entrar em contacto comigo vai ao meu blog http://programandoangola.blogspot.com ou acesse o meu forum
    http://programandoangola.liveforum.com ou no facebook no meu grupo de programadores
    o APA# esta ai o link:
    http://www.facebook.com/groups/239339252806505/

    Valeu PROGRAMERS!!!!!!!!!!!!!!!!!!11

  9. Eu sou estudante de informática do 1ano do ensino médio no instituto médio comercial de luanda, e noto essa dificuldade nos dias de aula, no final do ano letivo nos foi mandado projetos e eu notei a dificuldade dos meus colegas de começar um projecto do zero a maioria encomendou o projecto dos aluno mais avançados ou pediu pra o irmão fazer.

  10. Oi sou o Dario Praia tenho 15 anos e programo a 1 ano. Conheco alguns programadores angolanos que sao bons e outros que nem deviam ser chamados de programador. Aqui em Angola para aprender a programar so por vontade propria porque na aula voce nao aprende nada. Aprende a programar em c e java sozinho so com apostilas e livros e posso dizer que amo programar

    • Eís a razão para nos esforçarmos para aprender aquilo que tanto desejamos. É provavel que prof. nenhum nos ensinara tudo, porque em Angola até mesmo alguns profrssores sabem menos que os alunos\estudantes.

  11. Olá Pessoal, pouca coisa ou mesmo nada percebo sobre programação, Sou Finalista do Curso de Engenharia Electroténica, numa Universidade Privada, Entre Tanto Não Quero Aqui Condenar Alguém longe de Mim tal Coisa, MAIS É IMPORTANTE QUE SAIBAM QUE AS ESCOLAS E OS PROFESSORES NÃO FORMÃO NINGUÉM MAIS SIM AS PESSOAS FORMÃO-SE NAS ESCOLAS.

  12. Pingback: Mais discussões sobre programadores | Benone.org

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s