IBM responsavel pelo lixo lá numa orbita qualquer

Sempre li e me disseram que havia muito lixo nas orbitas aqui mesmo sobre as nossas cabeças. Hoje um fabricante e um cliente devem decidir se querem o seu satelite a orbitar nas distancias orbitais MEO, GEO ou LEO.

Até aí tudo bem, mas depois vem a seguinte pergunta: Até quando? Até quando tiver propulsao e poder se orientar na orbita desejada. Se perder isso ou por outro motivo qualquer, ou quem sabe sair da velocidade orbital, ela deixa de estar sob controle do cliente, mas nem por isso cai a terra, pelo contrario, continua lá a disposição do lixo espacial, o conjunto de centenas ou milhares de satelites que orbitam nas mais diversas distancias orbitais e que nao possuem utilidade alguma. Muitos deles estao velhos, outros danificados outros nem sequer chegaram a ser usados porque nunca entraram na rota desejada.

E é nesta situação de nao entar na rota desejada que a IBM patenteou uma tecnologia que permite a um satelite regressar a sua posição desejada. Denominada de ‘flyby process‘ ela pode ser a responsavel pelo facto duma empresa a SES Americom perder por completo o dominio sobre um satelite geostacionario que nao alcançou a rota desejada mas que talvez nao volte ao seu lugar por causa dos milhoes que a SES Americom teria de pagar a IBM para usar sua tecnologia patenteada.

OBS1: A SES Americom devia ter estampado uma foto do TUX no satelite.
OBS2: Que tal uma olhada ao lixo orbital, você vai se espantar com tanto lixo que tem lá acima.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s